Vitória democrata nos EUA pode impulsionar crescimento do PIB brasileiro, diz UBS

Vitória democrata nos EUA pode impulsionar crescimento do PIB brasileiro, diz UBS
Após ser declarado presidente eleito nos Estados Unidos, Joe Biden fez seu primeiro discurso na noite do último sábado (7).

A equipe econômica do UBS Brasil divulgou nesta sexta-feira (30) uma análise referente aos impactos de uma possível vitória democrata nos EUA para a economia Brasileira. De acordo com os economistas, caso Joe Biden seja eleito ao cargo de presidente, o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil deve aumentar entre 3,6% e 3,1%.

lead suno imagem ilustrativa

Receba as principais notícias do mercado diariamente.

Receba Grátis conteúdo exclusivo sobre Poupança, Ações, Economia e muito mais!

Parabéns! Cadastro feito com sucesso.

Ops! Algo deu errado. Tente novamente.

lead suno background

Segundo o UBS Brasil, a retomada da economia brasileira em 2021 será determinada principalmente por fatores domésticos, como por exemplo com o impasse fiscal, entretanto, o ambiente externo também pode prejudicar ou facilitar o crescimento no período, como principalmente as eleições dos EUA.

A avaliação feita pela equipe econômica prevê cinco diferentes cenários para a expansão do PIB no próximo ano, os quais dependerão do resultado das eleições norte-americanas e do prazo de desenvolvimento de uma vacina contra o coronavírus (Covid-19).

Suno One: acesse gratuitamente eBooks, Minicursos, Artigos e Video Aulas sobre investimentos com um único cadastro. Clique para saber mais!

Além das projeções otimistas diante de uma possível vitória democrata, os economistas esperam que no caso oposto, de uma reeleição de Donald Trump, o crescimento seria de 2,8% em 2021, e de 1,9% em 2022.

“O cenário externo importa para a performance da economia brasileira. O PIB nacional é correlacionado ao ritmo de
crescimento, ou queda, das maiores economias, particularmente China e Estados Unidos”, afirmam os analistas.

“Diferentes resultados da eleição nos EUA e/ou diferentes prazos de aprovação e distribuição de uma vacina vão afetar a economia global”, acrescentam os economistas.

O relatório explica ainda que o ambiente externo pode interferir no Brasil através das condições financeiras, ou seja, taxa de câmbio, preços de commodities e ativos, spreads de juros e prêmio de risco, assim como pelo canal do comércio.

Além dos EUA, vacina também pode interferir no PIB brasileiro

Caso uma vacina seja aprovada até o fim deste ano, os analistas afirmam que o resultado pode ser semelhante à vitória de Biden. “No caso do surgimento rápido de uma vacina, o melhor crescimento mundial poderia acelerar o crescimento brasileiro da nossa estimativa de 3% para 3,5% em 2021”, ao passo que a expansão em 2022 seria de 3,2%.

Veja Também: EUA: estímulos serão adotados “definitivamente antes do fim do ano”, diz Trump

Entretanto, no cenário pessimista,  com demora no desenvolvimento e distribuição da vacina contra o coronavírus, o  crescimento cairia para 1,8% no próximo ano, e 2,8% em 2022.

Por último, os economistas destacam que ‘drivers’ domésticos devem ser mais importantes do que o usual para
definir o ritmo do PIB em 2021, o que quer dizer que as decisões tomadas no Brasil serão mais essenciais que a política dos EUA ou do desenvolvimento da vacina, informaram.

Rafaela La Regina

Compartilhe sua opinião