Vendas da Ford na China caem pelo terceiro ano consecutivo

Vendas da Ford na China caem pelo terceiro ano consecutivo
Ford paralisa fábrica em Chicago dois dias após reabertura

Após vender 567.854 veículos na China em 2019, a Ford reportou o terceiro ano consecutivo de queda nas vendas no maior mercado consumidor asiático. Além disso, a companhia informou nesta segunda-feira (13) que a situação deve piorar em 2020.

Embora o resultado tenha sido melhor em relação ao recuo de 36,9% de 2018, o número total de veículos vendidos foi menos da metade do 1,27 milhão registrado em 2016, o maior nível já reportado. No quarto trimestre do ano passado, as vendas da Ford caíram 14,7%.

A segunda maior montadora norte-americana, com sede em Dearborn, Michigan, nos Estados Unidos, informou que aguarda um mercado consumidor chinês mais encolhido ainda neste ano.

Confira: Tesla supera pela 1ª vez valor de mercado de GM e Ford juntas

A Ford projeta melhorar sua linha de produtos com “veículos mais centrados no cliente e experiências para mitigar a pressão externa e melhorar a lucratividade dos revendedores”, segundo Anning Chen, que lidera os negócios da montadora na China.

A montadora pretende lançar mais de 30 novos modelos na China nos próximos três anos, dos quais mais de um terço serão veículos elétricos.

Ford é impactada por desaceleração global

O mercado de automóveis da China cresceu por vários anos, porém, no último ano e meio, recuou devido a uma desaceleração econômica que impactou a demanda dos consumidores. Além disso, padrões mais rigorosos com relação ao meio ambiente prejudicaram montadoras e revendedores.

A Associação Chinesa de Fabricantes de Automóveis, com apoio estatal, deve divulgar dados gerais de vendas do ano passado ainda nesta segunda.

A queda nas vendas tem sido especialmente difícil para as marcas de origem estadunidense. A Ford e a General Motors (GM) estão entre as mais impactadas, junto com as empresas locais. Já as marcas alemãs e japonesas, como Volkswagen e Toyota, conquistaram mais participação de mercado.

Saiba mais: Chinesa BYD pretende adquirir fábrica da Ford em São Bernardo

Assim como a Ford, para o ano passado, a GM disse que as vendas caíram 15% em relação a 2018, seu maior declínio anual na China, seu maior mercado fora dos EUA. As montadoras norte-americanas perderam 1,5% de participação no mercado de janeiro a novembro, de acordo com a Associação Chinesa de Fabricantes de Automóveis.

Jader Lazarini

Compartilhe sua opinião