Negócios

Magalu, B2W e Via Varejo caem na bolsa após entrada de Amazon Prime no Brasil

0

Os papéis das maiores empresas do varejo brasileiro e do comércio eletrônico tiveram forte queda, nesta terça-feira (10), após o anúncio da norte-americana Amazon sobre o novo serviço Prime chegar ao Brasil.

As ações da Magazine Luiza (MGLU3) registravam queda de -6,08% sendo negociados a R$ 32,12. Seguindo o mesmo padrão, a Via Varejo (VVAR3) operava em baixa de -4,56% sendo cotada a R$ 6,69. Também em queda, a B2W Digital (BTOW3) registrava baixa de -6,97% sendo negociada a R$ 40,47. As cotações foram baseadas no horário das 13h40.

Amazon Prime é lançado no Brasil

Desde a meia noite desta terça-feira (10), a Amazon Prime está disponível no Brasil. O serviço custa R$ 9,90 ao mês, com desconto de 25% no plano anual, que sai por R$ 89,90. Os 30 primeiros dias, de teste, são gratuitos.

O plano da Amazon inclui, além do frete grátis para todas as categorias de produtos vendidos e entregues pela companhia, as assinaturas do Prime Video, que funciona como o Netflix, e o Prime Music, que está sendo lançado com mais de 2 milhões de músicas, competindo com o Spotify. O Prime Reading e Twitch Prime também estão inclusos.

Nos Estados Unidos, o valor do Prime é mais alto. São cobrados US$ 12,99 mensais ou US$ 119 no plano anual. Nesta terça-feira (10), em todo o site da loja, e também no aplicativo, haverá sinalizações para divulgar a novidade para os clientes.

Veja também: Deutsche Bank diminui a estimativa de receitas para 2022

A Amazon, porém, não revelou a sua meta financeira para o pacote de serviços no mercado brasileiro. A expectativa da empresa é de que a novidade possa aumentar significativamente a base dos clientes.

De acordo com pesquisas feitas no ano passado, o cliente Prime nos EUA gasta, em média, US$ 1.400 no e-commerce por ano, enquanto clientes que não aderiram à assinatura dispõem de algo em torno de US$ 600.

O Country Manager da Amazon no Brasil, Alex Szapiro, não explicou a razão pela qual a empresa pratica preços tão agressivos no país. além disso, Szapiro também não especificou o potencial esperado na conversão dos clientes comuns para clientes assíduos.

“Claro que (o cliente Prime) acaba consumindo mais, mas nosso objetivo é dar um serviço que ele sente que vale mais do que ele paga”, afirmou o country manager da Amazon no Brasil.

Compartilhe a sua opinião

Juliano Passaro
Juliano Passaro escreve sobre política, economia e negócios para o portal da Suno Research. Antes da Suno, trabalhou no Portal da Band. É formado em jornalismo pela Universidade Presbiteriana Mackenzie.