Vale (VALE3) retoma pagamento de dividendos após 2 anos

Vale (VALE3) retoma pagamento de dividendos após 2 anos
A Vale (VALE3) notificou seus credores dizendo que realizará o pagamento de US$ 5 bilhões em linhas de crédito rotativo.

A Vale (VALE3) anunciou na última quarta-feira (29) que sua política de remuneração aos investidores da empresa retornará, após dois anos de ausência. O primeiro pagamento acontecerá em setembro, e será referente ao primeiro semestre deste ano. Um mês antes disso, em agosto, ocorrerá o pagamento de Juros sobre Capital Próprio (JCP) referente ao exercício de 2019.

De acordo com informações do jornal “Valor Econômico”, a decisão sobre os dividendos partiu do conselho de administração da Vale que entendeu que era o momento de retomar a política.

O anúncio da retomada do pagamento de dividendos, que era esperado pelo mercado há meses, aconteceu na mesma data da divulgação de resultados operacionais do segundo trimestre da mineradora.

Suno One: acesse gratuitamente eBooks, Minicursos, Artigos e Video Aulas sobre investimentos com um único cadastro. Clique para saber mais!

Os dividendos da Vale serão retomados da mesma forma que aconteciam antes da tragédia em Brumadinho, Minas Gerais, há um ano e meio. Ou seja, a companhia pagará os proventos aos acionistas duas vezes por ano, sendo em março e em setembro, levando em conta o seguinte cálculo: 30% do Ebitda menos o investimento em manutenção.

O Safra e o Goldman Sachs estimaram, recentemente, o total que poderia se pago em dividendos pela Vale neste ano. Segundo estimativas do Safra, o valor poderia chegar a cerca de US$ 5 bilhões e, de acordo com o Goldman Sachs, a mineradora poderá pagar US$ 3,8 bilhões em dividendos em 2020. O presidente da Vale, Eduardo Bartolomeo, entretanto, não falou sobre valores em seu anúncio realizado na quarta-feira.

Lucro da Vale no 2T20

A Vale divulgou seus resultados referentes ao segundo trimestre deste ano, na noite da última quarta-feira (29). A mineradora teve lucro líquido de R$ 5,289 bilhões no período e, com isso, reverteu o prejuízo apresentado no período de abril a junho do ano passado, de R$ 384 milhões.

Juliano Passaro

Compartilhe sua opinião