Usiminas (USIM5) reverte prejuízo e tem lucro de R$ 198 milhões no 3T20

Usiminas (USIM5) reverte prejuízo e tem lucro de R$ 198 milhões no 3T20
Usiminas (USIM5) retoma produção de aço no ritmo anterior à pandemia

A Usiminas (USIM3; USIM5; USIM6) reverteu o prejuízo de R$ 139 milhões, apresentado no terceiro trimestre do ano passado, e registrou lucro líquido de R$ 198 milhões no mesmo período deste ano. Os dados foram divulgados pela companhia nesta quinta-feira (29).

A receita líquida somou no terceiro trimestre R$ 4,4 bilhões, superior em 80,7% em relação ao segundo trimestre, devido aos resultados positivos que a Usiminas registrou em suas unidades de Siderurgia, Mineração e Transformação de Aço.

O Ebitda Ajustado (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) foi de R$ 826 milhões. A margem Ebitda ficou em 19% no terceiro trimestre deste ano.

Suno One: acesse gratuitamente eBooks, Minicursos, Artigos e Video Aulas sobre investimentos com um único cadastro. Clique para saber mais!


Por sua vez, as despesas com vendas totalizaram R$ 96 milhões, inferior em 9,2% em relação ao trimestre anterior. As despesas gerais e administrativas totalizaram R$ 98 milhões.

No período de julho a setembro, o capital de giro totalizou R$ 3,1 bilhões. Os investimentos (CAPEX) foram R$ 179 milhões.

A dívida líquida consolidada no mês passado era de R$ 2,5 bilhões, inferior em 32% em comparação com junho deste ano. “Tal variação decorre, majoritariamente, da elevação da posição de caixa e equivalentes de caixa em 49% no período”.

Segmento de aço

O volume de vendas de aço totalizou 934 mil toneladas, alta de 54% quando comparado com trimestre anterior, e queda de 10% na comparação com o mesmo período no ano passado.

lead suno imagem ilustrativa

Receba as principais notícias do mercado diariamente.

Receba Grátis conteúdo exclusivo sobre Poupança, Ações, Economia e muito mais!

Parabéns! Cadastro feito com sucesso.

Ops! Algo deu errado. Tente novamente.

lead suno background

Conforme dados do Instituto Aço Brasil, o mercado brasileiro absorveu a forte retração da atividade econômica decorrente da implementação de medidas de combate a pandemia. “Ao resultado positivo do 1º trimestre de 2020 seguiu-se uma queda de 33% no consumo aparente de produto siderúrgicos planos e longos no 2º trimestre”, informou a companhia.

De acordo com o Instituto Nacional dos Distribuidores de Aço (INDA) em agosto as vendas de aço plano na rede de distribuição apresentaram alta pelo quarto mês consecutivo.
Nos primeiros oito meses do ano, as vendas representaram retração de 1%, “resultado consideravelmente melhor que aquele visto ao final do 1º semestre, quando a queda era de 10%”.

Unidade de mineração

Já o volume de vendas de minério de ferro foi 2,3 milhões de toneladas. Em relação ao segundo trimestre, esse valor representa aumento de 21%. No entanto, quando comparado com o mesmo período em 2019, o volume de vendas apresenta queda de 7%.

No terceiro trimestre, o preço médio de referência do minério de ferro foi US$ 118,31 tonelada, superior em 26,8% em relação ao trimestre anterior.

Na análise da companhia, os pacotes de estímulos da China geraram impactos positivos na produção de mineração e as siderúrgicas chinesas bateram novo recorde mensal na produção de aço bruto em agosto.

Neste mesmo cenário, no período de julho a setembro, houve queda nas exportações de minério de ferro australianas, o que levou a uma oferta limitada de minério no mercado e, consequentemente, aumento dos preços ao longo do trimestre.

“Apesar do dinamismo da atividade econômica ainda estar distante do nível pré-crise, os bons resultados recentes são animadores para o segmento industrial”, informou a Usiminas.

Poliana Santos

Compartilhe sua opinião