Negócios

Polícia Federal deflagra operação contra Unick Forex em cinco estados

0

A Polícia Federal (PF) iniciou uma ação denominada “Operação Lamanai” contra a empresa Unick Forex, sediada em São Leopoldo, no Vale dos Sinos. A investigação tem o apoio da Receita Federal do Brasil e foi deflagrada na manhã desta quinta-feira (17).

Aproximadamente 200 policiais federais estão cumprindo 65 mandados de busca e apreensão e dez de prisão contra pessoas ligadas diretamente a Unick Forex. A operação é desencadeada em cinco estados. Entre as cidades, estão:

  • Porto Alegre
  • Canoas
  • São Leopoldo
  • Caxias do Sul
  • Curitiba
  • Bragança Paulista
  • Palmas
  • Brasília

Medidas judiciais cautelares também são executadas para apreensão de automóveis, bloqueio de valores em contas correntes e sequestro de bens. A investigação sobre a organização criminosa mostra que a empresa chegou a captar R$ 40 milhões por dia, de acordo com informações do site da Polícia Federal.

As operações de compra e venda de moedas, que eram praticadas pela Unick Forex, são autorizadas somente para instituições financeiras oficiais.

A Unick prometia aos clientes um retorno de 100% sobre o valor investido, em um prazo de apenas seis meses. Dessa forma, a PF confirma que a captação de recursos da empresa foi estruturada em uma pirâmide financeira, onde os novos investidores acabam pagando, sem saber, os que aplicaram recursos anteriormente na empresa.

Veja também: Grupo de 200 clientes fará manifestação contra Atlas Quantum, diz site

A organização chegou a ser notificada pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) para não praticar operações não autorizadas, mas continuou e foi decretada a uma ‘stop order’ (parada de operações), que também foi ignorada pela companhia. A investigação também encontrou outros tipos de crimes da empresa como: aquisição de moedas virtuais para serem enviadas ao exterior, lavagem de dinheiro, entre outros.

Veja também: Unick Forex contrata escritório para negociar com clientes

Em entrevista a “Rádio Gaúcha”, o superintendente da PF no Rio Grande do Sul, Alexandre Isbarrola, comentou o caso, alertando sobre o modelo de ganhos exorbitantes oferecidos por esses tipos de empresa. “Infelizmente é sempre aquela mesma promessa de um ganho muito acima do que é praticado no mercado. Aos olhos daqueles que as vezes querem ganhar dinheiro, é algo extremamente interessante, mas que está muito fora da realidade e que não se sustenta”, afirmou Isbarrola.

Ainda segundo o superintendente da PF, a Unick Forex pode ter movimentado cerca de R$ 9 bilhões, contabilizando todos os negócios da companhia no mundo.

Compartilhe a sua opinião

Juliano Passaro
Juliano Passaro escreve sobre política, economia e negócios para o portal da Suno Research. Antes da Suno, trabalhou no Portal da Band. É formado em jornalismo pela Universidade Presbiteriana Mackenzie.