Trump quer anunciar vacina antes das eleições, diz jornal

Trump quer anunciar vacina antes das eleições, diz jornal
O presidente Trump quer acelerar os testes com a vacina que combata o coronavírus para antes das eleições.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, quer acelerar os testes com a vacina que combata o novo coronavírus (Covid-19), com o intuito de anunciá-la antes das eleições presidenciais de novembro, quando buscará ser reeleito. As informações são do jornal britânico “Financial Times”.

lead suno imagem ilustrativa

Receba as principais notícias do mercado diariamente.

Receba Grátis conteúdo exclusivo sobre Poupança, Ações, Economia e muito mais!

Parabéns! cadastro feitocom sucesso.

lead suno background

A vacina norte-americana, que está sendo desenvolvida no Reino Unido, ainda está em fase de testes, mas, segundo o jornal, a Casa Branca quer que as autoridades sanitárias concedam uma “autorização de uso de emergência” até outubro. O medicamento está sob responsabilidade da Universidade de Oxford e da farmacêutica AstraZeneca.

O estudo da AstraZeneca tem 10 mil voluntários para sua vacina, todavia, orgãos regulatórios entendem que essa é uma amostra pequena — o mínimo, para que a vacina seja aprovada, deveria ser de 30 mil voluntários. A empresa também está conduzindo um estudo maior, com cerca de 30 mil voluntários, embora os resultados virão após um ensaio menor.

Suno One: acesse gratuitamente eBooks, Minicursos, Artigos e Video Aulas sobre investimentos com um único cadastro. Clique para saber mais!

Trump pode utilizar a chegada da vacina aos Estados Unidos como um trunfo para as eleições. O atual mandatário está em segundo lugar nas pesquisas de intenção de voto, atrás do representante do Partido Democrata, Joe Biden. O oponente de Trump diz que a resposta dos Estados Unidos ao vírus foi o “ pior desempenho de qualquer nação”.

Vacina é necessária para o país e para Trump

Os Estados Unidos são o país mais impactado pelo coronavírus, com mais de 5,7 milhões de contaminados e cerca de 176,8 mil mortes. A relação de mortes por milhão de habitante está em 531 — somente atrás do Brasil. Não somente como uma ferramenta eleitoral, Trump procura encontrar uma resposta para estancar o crescimento da pandemia, em meio às fortes críticas sofridas em território norte-americano.

Todavia, segundo o “Financial Times”, se o governo Trump se apressar em obter a autorização de emergência antes das eleições, contornando as diretrizes normais das autoridades competentes, isso pode abalar a já abalada confiança do público na segurança das vacinas à frente de um dos maiores programas de imunização em massa da história do país.

Se o U.S. Food and Drug Administration (FDA), agência reguladora estadunidense, conceder aprovação de emergência para a vacina AstraZeneca com base no estudo Oxford, entretanto, isso poderá levar a uma série de demissões da agência.

No início da última semana, Peter Marks, diretor do Centro de Avaliação e Pesquisa Biológica do FDA — que é responsável por avaliar os medicamento — disse à agência de notícias “Reuters” que renunciaria se a reguladora aprovasse uma vacina antes que dados definitivos mostrassem sua segurança e eficácia.

Jader Lazarini

Compartilhe sua opinião