Finanças pessoais

Tesouro Direto vai pagar R$9 bi nesta quarta no maior vencimento da história

0

Nesta quarta-feira (15), o Tesouro Direto paga R$ 9 bilhões para cerca de 122 mil investidores. Trata-se do maior vencimento de títulos da história. Os títulos públicos tem como objetivo financiar a dívida pública.

O título do Tesouro Direto que tem vencimento nesta quarta é o Tesouro IPCA+ 2019 (antigo NTN-B). Este investimento teve início em 2013 e sua remuneração tem uma taxa de juros reais prefixada. Desta forma é a combinação da inflação (IPCA) e de um adicional do valor pré-determinado na hora da compra.

No período de 72 meses, correspondente a seis anos, a rentabilidade bruta do título foi de 64%.

A maioria dos investidores que vão pegar o dinheiro com juros e corrigido, é homem (69,34%)de 36 a 45 anos (38 mil). Além disso, a maior parte é do estado de São Paulo (47,18%).

Investimento mais seguro do mercado financeiro

Os títulos nacionais oferecem segurança confortável aos inexperientes no quesito investimento ou daqueles que procuram investimentos de menor risco.

É uma alternativa de investimento, no qual a pessoa indiretamente “empresta” dinheiro ao Governo Federal em troca de uma remuneração ao fim do período pré-estabelecido.

De acordo com CEO da casa de análise Suno Research, Tiago Reis, é uma das modalidades de investimentos mais seguras do mercado.

“Isto por que o risco de calote por parte do governo, embora seja real, é bastante improvável de acontecer. E mesmo que por ventura esse cenário calamitoso se concretize, os sinais podem ser antecipadamente percebidos”, afirma Reis.

Saiba Mais: Tesouro Direto supera a marca de 1 milhão de investidores

Além disso, o CEO completa que é mais fácil os investidores se anteciparem à tragédia. “Os investidores pode ser antecipadamente percebidos, fazendo com que o investidor se antecipa à tragédia de maneira premeditada, resguardando-se a tempo do pior”

“O Tesouro Direto é uma dessas vertentes que podem agregar valor no decorrer do tempo”, completa Tiago Reis.

Riscos de investir no Tesouro Direto

No entanto, o tesouro nacional não se isenta de riscos. De acordo com o Tiago Reis, “todo o investimento possui risco”.

Saiba Mais: Tesouro Direto abre oferta pública de seu primeiro fundo

Para Reis é muito importante antes de iniciar o investimento, ter conhecimento sobre três possíveis riscos que não podem ser ignorados.

  • Risco de liquidez;
  • Risco de crédito;
  • Risco de mercado.

“Os riscos irão afetar de forma diferente cada título. Por isso, tenha em mente que tipo de título você deseja comprar ao analisar os riscos”, afirma Tiago Reis.

Última cotação

Na última terça-feira (14), os títulos do Tesouro Direto indexados apresentavam uma leve queda. Enquanto os prefixados apresentavam um aumento nas taxas de rendimento em comparação com a última sexta-feira (10).

Compartilhe a sua opinião

Poliana Santos
Poliana Santos escreve sobre economia e política para o portal Suno Notícias. Antes, colaborou na Rádio Gazeta AM, onde era responsável pela produção do programa Bom Dia Gazeta. É estudante da Faculdade Cásper Líbero.