Negócios

Telefônica Brasil anuncia parceira com American Tower

0

A  Telefônica Brasil, controladora da Vivo (VIVT3; VIVT4), informou nesta segunda-feira (4) uma parceria com a desenvolvedora de infraestrutura de telecomunicação American Tower.

A nova parceria tem como objetivo expandir as redes óticas pelo País. Principalmente pelas cidades de Minas Gerais, projeção de 800 mil casas nos próximos três anos. De acordo com o presidente da Telefônica, Christian Gebara, essa medida faz parte das duas novas estratégias para acelerar a implementação da rede no Brasil.

“Vamos poder chegar a mais domicílios e a mais lugares. Esse modelo nos ajuda a blindar essa base em Minas Gerais. E também nos dá mais agilidade, junto de um parceiro que tem expertise em infraestrutura”, informou o presidente durante a conferência com jornalistas.

A segunda estratégia consiste em abrir modelo de franquias com provedores regionais. Desse modo, a fibra ótica vai passar de 1 milhão de residências para 2 milhões, em um período de três a quatro anos.

“A ideia da franquia é chegar a localidades menores. Há muitos domicílios do País onde não chegamos e demoraríamos muito. Há crescimento enorme dos pequenos provedores. Por que não alavancar com o expertise da Vivo“, salientou o presidente.

Nesse modelo, os franqueados ficarão com toda a receita do negócio e pagarão apenas royalty à Telefônica. As empresas locais serão responsáveis pela construção das redes de fibra ótica e a entrega do produto ao cliente.

Telefônica registra queda de 69,6% em seu lucro no 3T19

A Telefônica um registrou lucro líquido de R$ 965,1 milhões no terceiro trimestre deste ano.

Em comparação com o mesmo período no ano passado, esse valor representa uma queda de 69,62%, quando registrado R$ 3,1 bilhões. De acordo com a companhia, a queda se deve ao “maior pagamento de impostos, relacionado à menor declaração de Juros sobre Capital Próprio (JSCP) no período.”

Saiba Mais: Telefônica negocia com Tim e Claro compra de ativos da Oi em conjunto

O Ebtida (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) recorrente foi de R$ 4,4 bilhões, alta de 15,2%. A margem Ebtida registrou aumento de 40,52%, 4,4 ponto percentuais ante o terceiro trimestre de 2018.

A receita operacional líquida da Telefônica teve avanço de 2,61%, a R$ 11 bilhões. A receita líquida aumentou em 6,6%, a R$ 7,1 bilhões. Por sua vez, a receita líquida da telefonia fixa registrou R$ 3,8 bilhões, queda de 3,9%.

Compartilhe a sua opinião

Poliana Santos
Poliana Santos escreve sobre economia e política para o portal Suno Notícias. Antes, colaborou na Rádio Gazeta AM, onde era responsável pela produção do programa Bom Dia Gazeta. É estudante da Faculdade Cásper Líbero.