Internacional

Inflação na OCDE desacelera chega a 2,7% em novembro

0

A inflação dos países membros da OCDE desacelerou e ficou em 2,7% em novembro de 2018.

A informação foi divulgada na última quinta-feira (10) pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). A organização agrupa as economias mais avançadas do mundo. O resultado da inflação na OCDE mostra uma desaceleração de 0,4 pontos percentuais em relação a outubro. Naquele mês a inflação tinha sido de 3,1%.

Saiba mais: OCDE reduz previsão do crescimento do Brasil para 1,2% 

Essa redução foi puxada, em particular, pelo aumento dos custos da energia e dos alimentos. Em novembro, os preços da energia subiram 6,8%, contra com os 10,4% do mês anterior. Além disso, os preços dos alimentos aumentaram de 1,9%, dois pontos a menos em relação a outubro.

A alta dos preços na maioria dos países membros da OCDE foi de cerca de 2% em novembro. Um resultado inferior em relação a outubro, quando foi de 2,3%. O resultado da Turquia, que registou um aumento da inflação de 21,6%, puxou para cima o indicador.

Nas outras economias, o resultado da inflação foi moderado. Os Estados Unidos registaram uma inflação de 2,2%, o Japão de 0,8% e o Canadá de 1,7%. Enquanto a França e a Alemanha registraram um aumento dos preços de respectivamente 1,9% e 2,3%. Por sua vez, a Itália teve uma taxa estável em 1,6% e no Reino Unido a o aumento de preço foi de 2,2%. A mesma taxa registada nos últimos três meses.

Inflação em baixa no mundo

Também na zona euro o resultado foi de baixa, passando de 2,2% em outubro para 1,9% em novembro. O aumento dos preços nos países que adotam a moeda única europeia teria sido de 1% se não se tivessem se considerado os preços da energia e da alimentação.

Saiba mais: IBGE: inflação de 2018 fecha em 3,75% 

Entre os países membros do G20 a alta média dos preços foi de 3,4%. Um resultado inferior de quatro decimais em relação a outubro. O G20 é o grupo que reúne as vintes economias mais industrializadas do mundo. Foram registradas desacelerações no Brasil (4% em outubro contra 4,6% em novembro), Índia (4,9% em outubro contra 5,2% em novembro) ou na China (2,2% em outubro contra 2,5% em novembro).

Por outro lado, entre os países membros do G20 a inflação em novembro ficou estável na Indonésia (3,2%). Além disso, aumentou na Argentina (48,5% contra 45,9%), Rússia (3,8% contra 3,5%), Arábia Saudita (2,8% contra 2,4%) e África do Sul (5,1% contra 5%).

Compartilhe a sua opinião

Carlo Cauti
Editor-chefe do SUNO Notícias. Italiano, formado em Ciências Políticas pela universidade LUISS G. Carli de Roma e mestre cum laude em Relações Internacionais, Jornalismo Internacional e de Guerra e em Economia Internacional. Concluiu também um MBA em Finanças na B3. No Brasil, teve passagem por veículos de comunicação como O Estado de S.Paulo, G1, Veja e EXAME. Também trabalhou nas agências de notícias italianas ANSA e NOVA.