S&P 500: as 5 ações que mais desvalorizaram em março

S&P 500: as 5 ações que mais desvalorizaram em março
Em março o S&P 500 encerrou com queda acumulada de 13,94%. Saiba quais as 5 ações mais desvalorizaram no mês. Clique aqui para saber mais.

O S&P 500 é um índice composto por 500 das maiores ações listadas nas Bolsas de Valores americanas New York Stock Exchange (NYSE) e NASDAQ.

No mês de março o S&P 500 encerrou com queda acumulada de 13,94%. Além disso o mecanismo circuit breaker foi acionado duas vezes em Nova Iorque em decorrência dos avanços do coronavírus. A primeira paralização foi no dia 9 e o segundo no dia 18.

Ademais, o índice VIX, o “termômetro do medo” do S&P 500, disparou na manhã do dia 12, se aproximando do nível atingido na crise de 2008.  O índice que mede a volatilidade do S&P 500, por volta das 09h53 daquele dia, subia 28,12%, a 69,25 pontos. O ponto mais alto atingido durante a crise do subprime foi em 20 de outubro de 2008, quando o indicador chegou a 79,13 pontos, segundo o Yahoo Finance.

Além disso, confira as cinco ações do índice que mais desvalorizaram  em março.

Cinco ações do S&P 500 que mais desvalorizaram em março

1° Apache Corp

Os papéis da Apache Corp (APA) foram os que mais desvalorizaram durante março dentre as empresas listadas no S&P 500. Além disso acumulou uma baixa de 32,07% no mês.

Saiba mais: Índices acionários de NY anotam uma das melhores sessões já registradas

No primeiro pregão do mês,as ações encerraram em queda negociados a R$ 113,30. No último pregão, os ativos também fecharam em queda a R$ 26,26.

A Apache Corp é uma empresa norte-americana que atua no setor de extração de petróleo e gás.

2° Norwegian Cruise Line

A Norwegian Cruise Line (NCLH) foi a segunda empresa que registrou maior desvalorização em suas ações durante o mês. Além disso acumulou uma queda de 76,40% no mês.

Coronavírus e Mercado Financeiro | Saiba quais oportunidades você pode estar perdendo

Os papéis da empresa de transporte fluvial e marítimo fecharam o primeiro pregão do mês em queda negociados a US$ 35,59 (R$ 187,08) Já no último, as ações fecharam em queda a US$ 10,96 (R$ 57,61).

3° Oneok

A Oneok (OKE) foi a terceira empresa do S&P 500 que mais desvalorizou durante o mês de março. Além disso acumulou uma queda de 32,51% no mês.

No primeiro pregão do mês, os ativos encerraram em queda, negociados a R$ 89,25. No último pregão tamebém fecharam em baixa a R$ 57,56

A Oneok é uma companhia norte-americana de distribuição de gás natural.

4° Occidental Petroleum Corp

A Occidental Petroleum (OXY) foi a empresa responsável pelos ativos que ocupam a quarta colocação na lista de menores valorizações do índice. No acumulado do mês apresentou uma baixa de 64,86%.

Saiba mais: Quanto as Bolsas do mundo perderam por causa do coronavírus

No primeiro pregão do mês, no dia 2 de março, os papéis encerraram em baixa negociados a US$ 32,95 (R$ 173,20). No último pregão, dia 31, os ativos fecharam em queda a US$ 11,58 (R$ 60,87).

A Occidental Petroleum é uma empresa de extração e exploração comercial de petróleo e gás.

5° Noble Energy

Por fim, a quinta empresa que apresentou as maiores variações negativas foi a Noble Energy (NBL). O acumulo mensal foi uma queda de 60,78%.

Leia também: S&P 500 cai 7,60% e bolsas de NY têm maior queda desde 2008

Os papéis da empresa de extração de petróleo e gás, fecharam o primeiro pregão do mês em baixa negociados a R$ 70,27.

No último, as ações da empresa listada no S&P 500 fecharam em queda, cotados a R$ 27,56.

Laura Moutinho

Compartilhe sua opinião