S&P 500: Confira as 5 ações que mais valorizaram em julho

S&P 500: Confira as 5 ações que mais valorizaram em julho
S&P 500 tem recorde em meio a pandemia e descolamento da economia

As ações cotadas no S&P 500 continuaram a mostrar bons resultados em julho e o índice composto pelas 500 empresas de maior peso nas bolsas de valores de Nova York subiu 5,51% no mês passado, a 3,271.12 pontos.

Com o resultado, o benchmarck norte-americano não somente se mostra recuperado do vale do mês março, no auge da crise do novo coronavírus, como já acumula uma alta de 1,25% no ano. Mesmo embora tenham crescido as dúvidas quanto à capacidade de recuperação da maior economia do mundo, o S&P 500 refletiu a temporada de divulgação de balanços, que em geral excederam as expectativas.

Das 500 companhias que compõe o índice, mais de 300 reportaram os resultados referentes ao segundo trimestre de 2020. Além disso, cerca de 82% delas registrou números que superaram as estimativas dos analistas de Wall Street e atingiram ganhos quase 22% acima das projeções, segundo dados da Refinitiv. Os dois percentuais são os maiores recordes desde 1994, segundo a fornecedora global de dados do mercado financeiro.

No Suno One você aprende a fazer seu dinheiro trabalhar para você. Cadastre-se gratuitamente agora!

O mercado continua a precificar as expectativas para o futuro, com um viés otimista de recuperação do Produto Interno Bruto (PIB) dos Estados Unidos, que caiu 32,9% no segundo trimestre.

Com isso, reforçando que esta matéria não é uma recomendação de investimento, confira as cinco ações do S&P 500 que mais se valorizaram em julho.

L Brands

L Brands, Inc. (NYSE: LB) já integrou a lista de maiores valorizações do S&P 500 este ano. As ações da varejista se recuperaram após a apresentarem uma queda de mais de 40% no acumulado anual e, atualmente, registra um forte rali.

Saiba mais: S&P 500: Confira as 5 ações que mais valorizaram em maio

Dona de marcas como Victoria’s Secret e Bath & Body Works, a companhia tem enfrentado grandes desafios com a pandemia devido às medidas de isolamento social e às quedas significativas nas vendas.

A L Brands reportou que suas vendas cairiam cerca de 20% em relação ao mesmo período do ano passado, puxada pela queda de 10% da Bath & Body Works e de 40% da Victoria’s Secret. O percentual, no entanto, não foi o bastante para ofuscar o anúncio de um plano de corte de custos.

A varejista de moda comunicou que espera chegar a US$ 400 milhões (cerca de R$ 2,084 bilhões) em corte de custos. A notícia animou os investidores que colocaram seu papel para cima, com uma alta de 63,06%, para US$ 24,41, a maior valorização do mês de julho.

Advanced Micro Devices

A fabricante de circuitos integrados Advanced Micro Devices, Inc. (NASDAQ: AMD) é outro exemplo de valorização no acumulado anual. Mas foi em julho que a rival da Intel Corporation (NYSE: INTC) realmente decolou.

Enquanto a sua concorrente perdia valor e se cravava como uma das maiores quedas do S&P 500 em julho, a AMD subiu 47,18% no mês, negociando suas ações a US$ 77,43.

Saiba mais: S&P 500: Confira as 5 ações que mais desvalorizaram em julho

Apesar de ainda muito atrás da Intel em relação ao mercado de computadores, a companhia já reduziu o vão entre seus produtos e os da gigante. A AMD conseguiu mostrar bons resultados a partir de uma combinação de design novo e de capacidade industrial vinda da Taiwan Semiconductor.

HCA Healthcare

Já a HCA Healthcare, Inc. (NYSE: HCA) acumula uma baixa de 14,17% em 2020, mesmo tendo chegado a terceira posição em percentual de valorização em julho.

A empresa registrou ganhos que surpreenderam os analistas, após reportar uma retomada gradual no número de cirurgias eletivas em meio à flexibilização das medidas de isolamento social. Nesse sentido, a maior operadora privada de hospitais do país informou que o número de pacientes cresceu de maio para junho, após uma queda em abril.

Com isso, a HCA Healthcare registrou valorização mensal de cerca de 30,48%, elevando a cotação de seus papéis para US$ 126,64.

United Parcel Service

Da mesma forma, o balanço de resultados do United Parcel Service, Inc. (NYSE: UPS) levou suas ações à uma patamar de US$ 142,76, equivalente a uma alta de 28,40% em julho.

A companhia do setor de transporte de encomendas, conhecida como uma das maiores de logística do mundo, que havia registrado uma forte queda em março, conseguiu recuperar seu valor no final do mês de julho.

Veja também: S&P 500: Confira as 5 ações que mais valorizaram em junho

Os números da empresa para o segundo trimestre de 2020 ficaram bem acima da expectativa dos analistas. O UPS apresentou um lucro diluído por ações de US$ 2,13, ante projeções de US$ 1,07 de Wall Street, enquanto a receita ficou em US$ 20,46, também superior aos US$ 17,48 bilhões esperados.

Com a divulgação do resultados as ações da companhia dispararam e já acumulam uma alta de quase 20%, cravando o quarto lugar no ranking de valorizações do S&P 500.

Pultegroup

Por último, mas não menos importante, foi o desempenho do PulteGroup, Inc. (NYSE: PHM) em julho. A construtora especializada em edifícios residenciais, que até o mês passado ainda estava negativa em em 2020, reportou os resultados do segundo trimestre.

A empresa divulgou números fortes, com uma receita de US$ 2,59 bilhões, ultrapassando o consenso dos analistas, e um lucro estatutário de US$ 1,29, cerca de 46% acima das expectativas.

Os números levaram as ações do PulteGroup a uma disparada de 28,12% em julho, para US$ 43,60, chegando a quinta e última posição do ranking de maiores valorizações do S&P 500.

Arthur Guimarães

Compartilhe sua opinião