Smiles (SMLS3) pagará R$ 103,6 milhões em dividendos

Smiles (SMLS3) pagará R$ 103,6 milhões em dividendos
Smiles (SMLS3) confirma assembleia com acionistas minoritários

A Smiles (SMLS3) comunicou ao mercado nesta segunda-feira (3) que pagará R$ 103,6 milhões em dividendos aos acionistas, conforme aprovado na Assembleia Geral realizada na última sexta-feira (31).

De acordo com a empresa de programa de fidelidade da Gol (GOLL4), o pagamento será realizado em 18 de dezembro deste ano, sem incidência de correção monetária. A Smiles informou que foram deduzidos os juros sobre o capital próprio (JCP) declarados e pagos referentes ao exercício de 2019, correspondente o provento de R$ 0,835074 para cada ação ordinária, isento de Imposto de Renda.

Terão direito acionistas com posição acionária em 3 de agosto. A partir de amanhã, 4 de agosto, os papéis serão negociados na forma de “ex-dividendos”. Os investidores que informaram ao Banco Itaú a conta bancária, receberão seus créditos na conta corrente na data mencionada.

No Suno One você aprende a fazer seu dinheiro trabalhar para você. Cadastre-se gratuitamente agora!

Segundo o comunicado, os acionistas que não fizeram atualização de cadastro ou  indicação de banco, agência e conta corrente, terão do Itaú créditos de dividendos à partir do terceiro dia útil contada da data de solicitação, desde que providenciem a regularização dos cadastros.

Smiles reverte lucro e apresenta prejuízo de R$ 400 mil no 2T20

A Smiles registrou prejuízo de R$ 400 mil no segundo trimestre de 2020, ante lucro líquido de R$ 155,7 milhões no mesmo período no ano passado. Os dados divulgados apontaram que o prejuízo foi causado em razão da crise no setor aéreo por causa da pandemia do novo coronavírus (covid-19).

No primeiro trimestre deste ano, a empresa de programa de fidelidade havia registrado lucro de R$ 56,3 milhões. No entanto, nos meses seguintes a “tempestade causada pela pandemia afetou os rumos dos negócio de forma generalizada. Poucos setores da economia foram tão profundamente desafiados nos últimos meses quanto o de viagens e turismo”, informou a Smiles.

A receita líquida passou de R$ 278 milhões, no segundo trimestre de 2019, para R$ 56,5 milhões neste trimestre. Esse valor é correspondente a uma queda de 79,6%. O faturamento bruto total atingiu R$ 321,7 milhões, ante R$ 684,3 milhões no mesmo período no ano anterior. A receita de resgates caiu 87,1%, para R$ 75,7 milhões, a queda é em razão ao cancelamento de viagens, passagens aéreas, hotéis e aluguel de carros.

O lucro bruto da Smiles foi de R$ 28,5 milhões, queda de 88,9% em comparação ao mesmo intervalo de 2019, quando havia registrado R$ 256,9 milhões.  O Ebitda (prejuízo antes de juros, impostos, depreciação e amortização) atingiu R$ 6,2 bilhões, ante um Ebitda positivo de R$ 180,4 milhões, ano antes.

Poliana Santos

Compartilhe sua opinião