Veja as 4 small caps que mais valorizaram em agosto

Veja as 4 small caps que mais valorizaram em agosto
Por volta das 12h, o Ibovespa operava em leve alta de 0,45%, alcançando 98.361,64 pontos.

O Ibovespa, maior índice acionário da Bolsa de Valores de São Paulo (B3), encerrou agosto com uma queda de 3,44%, registrando a primeira baixa mensal desde o tombo de março. No entanto, o índice acionário das small caps, o SMLL, fechou o mês passado com um recuo significativamente menor, de 1,23%.

lead suno imagem ilustrativa

Receba as principais notícias do mercado diariamente.

Receba Grátis conteúdo exclusivo sobre Poupança, Ações, Economia e muito mais!

Parabéns! cadastro feitocom sucesso.

lead suno background

Algumas das small caps decolaram no mês encerrado na última segunda-feira (31), mesmo em meio às incertezas econômicas em função da pandemia do novo coronavírus (Covid-19). No segundo trimestre deste ano, o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil caiu 9,7%, já colocando o País em recessão técnica.

De acordo com o SMAL11, ETF que replica a carteira teórica de small caps do mercado, seguindo seus critérios metodológicos, confira quais foram as quatro ações que mais valorizaram em agosto, salientando que esta matéria não é uma recomendação de investimento.

Suno One: acesse gratuitamente eBooks, Minicursos, Artigos e Video Aulas sobre investimentos com um único cadastro. Clique para saber mais!

Linx

Uma das poucas empresas brasileiras do setor de tecnologia listadas na Bolsa, a Linx (LINX3) é uma das principais operadoras do setor baseadas em nuvem (cloud-based) da América Latina, e opera no País há mais de 30 anos. A companhia abriu seu capital em 2013, sendo listasda no Novo Mercado, com os maiores padrões de governança corporativa.

Agosto foi movimentado para os investidores da companhia, assim como para sua direção e seus concorrentes. No dia 11 de agosto, a empresa recebeu uma oferta de aquisição por parte da Stone, do setor de maquininhas, listada na Nasdaq. Dias depois, a Totvs (TOTS3) revelou seu plano de combinação de negócios com a Linx.

As informações que vieram à tona trouxeram questionamentos sobre os termos do negócio junto à Stone — que, por sua vez, aumentou a oferta pela compra da Linx. E, mesmo assim, a Totvs não se deu por vencida, oferencendo arcar com a multa de R$ 100 milhões para que fechasse negócio com ela.

O especialista em renda variável da SUNO Research, Evandro Medeiros, pontuou que “a Linx se destaca por seu market share no segmento de software de gestão para o varejo, de 45,6% no ano passado, e quem vem apresentando tendência crescente na última década. A conclusão dessa transação, seja com a Stone ou Totvs, é um divisor de águas para o setor”.

A empresa encerrou o mês de agosto com uma valorização de 34,62% nos seus papéis, cotados a R$ 35,58.

Usimimas

A Usiminas (USIM5) foi fundada em 1962, quando passou a construir um dos maiores grupos siderúrgicos do Brasil, operando em diversos segmentos da cadeia de valor do aço. Inicialmente era uma estatal, e teve seu processo de privatização concluído em 1991, durante o governo Collor. Além da bolsa brasileira, a companhia também está listada na bolsa de valores de Madri (Latibex).

No segundo trimestre deste ano, a Usiminas teve um prejuízo líquido de R$ 395 milhões, revertendo o lucro líquido anotado no mesmo período do ano passado, de R$ 171 milhões. O endividamento, porém, caiu. A dívida liquida consolidada ao final de junho era de R$ 3,7 bilhões, contra R$ 4,2 bilhões apresentados no mesmo período do ano passado.

“Com a produção industrial brasileira combalida, as exportações passaram a representar maior parcela da receita no segundo trimestre. A alavancagem apresentou elevação, passando de uma dívida líquida/EBITDA de 1,7x no primeiro trimestre deste ano, para 2,2 vezes no segundo trimestre”, disse Medeiros.

O especialista salientou que o endividamento em dólares da empresa representa 67% da dívida bruta, “e com a depreciação do nosso câmbio, a marcação em reais subiu”.

Embora o resultado trimestral tenha sido negativo, a empresa fechou o mês de agosto com uma alta de 24,85% em suas ações, que passaram a ser cotadas a R$ 10,15. No acumulado do último ano, a empresa sobe cerca de 36%.

Hering

A Hering (HGTX3) é uma das empresas mais antigas dentre as listadas na B3. A companhia foi fundada por Hermann Hering na cidade de Blumenau, em 1878. Atualmente, a Cia Hering detém quatro marcas:

  • Hering
  • Hering Kids
  • PUC
  • DZARM

O modelo de produção é híbrido e é caracterizado pela combinação de produção própria, terceirizada e outsourcing (“compra de produto acabado”) no mercado interno e externo. Isso, segundo a empresa, garante a flexibilidade e velocidade para atender à demanda do mercado.

A mais antiga das small caps registrou um lucro líquido de R$ 126,85 milhões no segundo trimestre deste ano, um crescimento de 211,8% sobre o mesmo período do ano passado. Além disso, o bom desempenho neste mês pode ser explicado pelo programa de recompra de até 5 milhões de ações, anunciado no dia 18 de agosto.

“Os resultados do segundo trimestre foram amplamente impactados pelo fechamento dos shoppings, onde parte relevante das lojas da Hering está posicionada. O e-commerce continua apresentando crescimento expressivo, mas não o suficiente para compensar as perdas na receita das lojas físicas”, salienta Medeiros, pontuando sobre os desafios instaurados pela pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

A empresa viu suas ações crescerem 23,58% desde o início de agosto, indo para R$ 18,29. O valor de mercado da companhia gira em torno de R$ 3,33 bilhões.

Marfrig

A Marfrig (MRFG3) é uma multinacional brasileira que opera no setor alimentício. É a segunda maior produtora de carne bovina do planeta. A companhia detém escritórios na América do Sul, América do Norte e Ásia. Para tanto, a Marfrig possui 36 unidades de processamento, sendo 24 unitárias, além de 10 centros de distribuição.

A companhia expandiu o lucro líquido no segundo trimestre em 1.743% na relação anualizada, para R$ 1,59 bilhão. A receita líquida da Marfrig, por sua vez, cresceu 54% no período, passando de R$ 12,24 bilhões no segundo trimestre de 2019 para R$ 18,88 bilhões no segundo trimestre deste ano.

De acordo com Medeiros, o setor de proteínas teve um trimestre excepcional. No caso da Marfrig, “parte do estoque foi adquirido a um dólar mais baixo, e exportado num patamar mais alto, o que impulsionou os resultados”.

A operação norte-americana da empresa apresentou forte resultado operacional. “Mesmo com queda de 7% no volume na comparação anual, a receita teve um bom crescimento, pelo ticket médio maior do período. No entanto, a paralisação dos abatedouros, especialmente no Estados Unidos, prejudicou a companhia”, salientou Medeiros.

A empresa, uma das principais small caps do mês, encerrou o mês passado com suas ações cotadas a R$ 17,80, após uma valorização de 23,53% nos 30 dias anteriores. A companhia apresenta uma valorização de aproximadamente 96% nos últimos 12 meses.

Jader Lazarini

Compartilhe sua opinião