Selic: Copom interrompe ciclo de cortes e mantém taxa básica de juros inalterada em 2%

Selic: Copom interrompe ciclo de cortes e mantém taxa básica de juros inalterada em 2%
Copom indica "interrupção" de cortes na taxa Selic.

O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) decidiu, em reunião realizada nesta quarta-feira (16), manter inalterada a taxa básica de juros (Selic). Com isso, a taxa permaneceu em 2% ao ano, que já é a mínima histórica.

lead suno imagem ilustrativa

Receba as principais notícias do mercado diariamente.

Receba Grátis conteúdo exclusivo sobre Poupança, Ações, Economia e muito mais!

Parabéns! cadastro feitocom sucesso.

lead suno background

Na última segunda-feira (14), estimativas do Boletim Focus mostraram que a Selic deve encerrar 2020 na casa dos 2%. A projeção para a Selic no fim de 2021, entretanto, saiu de 2,88% ao ano para 2,50% ano. No caso de 2022, a projeção divulgada nesta semana permaneceu em 4,50% ao ano.

Suno One: acesse gratuitamente eBooks, Minicursos, Artigos e Video Aulas sobre investimentos com um único cadastro. Clique para saber mais!

A decisão do Copom era aguardada pelo mercado. O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, tinha dito, no início deste mês, em evento realizado pela “Bloomberg” que o BC não cogitava um novo corte na taxa Selic. Segundo ele, havia “pouco ou nenhum espaço” para novos cortes na taxa básica de juros.

Entretanto, a recente alta da inflação deixou muitos analistas perplexos sobre esse posicionamento conservador do Banco Central. Os preços subiram além do esperado nos últimos meses, em particular os alimentos. Em agosto a alta dos preços dos alimentos a foi de 8,83% em relação ao mesmo período do ano passado.

Por outro lado, o Banco Central havia já sinalizado que um corte adicional da Selic poderia gerar instabilidade nos preços de outros ativos, além de criar uma possível alta do dólar.

Além disso, a autoridade monetária também destacou na sua decisão que não tem a pretensão de elevar a Selic “a menos que as expectativas de inflação, assim como as projeções de inflação de seu cenário básico estejam suficientemente próximas da meta”. O banco central ainda reforçou que há um pequeno espaço para um novo corte de juros.

Juliano Passaro

Compartilhe sua opinião