Negócios

Santander reduz taxa cobrada em fundos de resgate automático

0

O Santander reduziu nesta quinta-feira (19) a taxa de administração de seus fundos de renda fixa, com serviços de resgate automático.

A nova taxa administrativa do Santander para essa categoria é de 2,7% ao ano ante 5,5% que eram cobrados.

O corte ocorreu após os clientes da instituição financeira pedirem por juros mais baixos nas redes sociais. Os pedidos dos internautas ocorreram após que o Banco Central (BC) reduziu a taxa básica de juros (Selic).

Fundo com taxas ao mesmo nível da Selic

A principal reivindicação estava relacionada ao FIC FI Inteligente Renda Fixa Curto Prazo, um fundo do banco que cobrava taxas de 5,5% ao ano. Portanto, o mesmo nível da Selic. Com as duas taxas no mesmo patamar, os clientes não teriam nenhum rendimento.

Segundo o banco, o objetivo deste fundo é remunerar os recursos de conta corrente no curtíssimo prazo, por meio do serviço de resgate automático.

Por meio de um comunicado, a instituição financeira informou que o fundo que cobrava taxas de 5,5% ao ano deixará de ser comercializado.

“O produto está fora da oferta ativa e não é mais comercializado. Diante do atual cenário e para atender aos atuais cotistas, a instituição reduziu a taxa de administração de todos os fundos da modalidade automática para 2,7% ao ano”, informou o banco.

Taxa Selic em 5,5% ao ano

Na última quarta-feira (18), o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central decidiu reduzir em 0,50 ponto percentual a taxa Selic.

Saiba mais: Banco Central corta Selic de 0,50 pontos percentuais para 5,5%

Em uma mínima histórica, a taxa básica de juros do País agora é de 5,50% ao ano. Esse foi o segundo corte feito pelo BC sobre a Selic desde o começo de 2019, que marca o início do mandato de Roberto Campos Neto.

O último Boletim Focus, relatório publicado pelo BC, divulgado na última segunda-feira (16), indicou uma previsão de taxas básicas de juros de 5,00% até o final de 2019.

Resultados do Santander no 2ºT19

No segundo trimestre deste ano, o Santander Brasil registrou aumento de 20,16% no lucro líquido ante o mesmo período do ano passado. O montante é de R$ 3,635 bilhões.

A carteira de crédito do banco também aumentou 7% na comparação anual. Quando comparado ao primeiro trimestre deste ano, a alta foi de 1,9%.

“Apesar de uma recuperação gradual na atividade econômica e de estarmos inseridos em um ambiente mais competitivo, o crescimento de nossa carteira de crédito foi superior ao do sistema financeiro aumentando nossa participação de mercado de forma rentável”, informou o relatório do Santander.

Compartilhe a sua opinião

Giovanna Oliveira
Giovanna Oliveira escreve sobre economia e política para o portal Suno Notícias. Antes, foi repórter do portal de jornalismo da ESPM-SP e produziu conteúdo para a Corinthians TV. É estudante da ESPM.