Negócios

Resumo da Semana: Megaleilão do pré-sal; Ata do Copom; Banco Inter; Eletrobras; Natura

0

A primeira semana completa do penúltimo mês do ano teve diversas notícias que agitaram o mercado interno e, também, o cenário internacional. No Resumo da Semana do SUNO Notícias você acompanha todas as notícias mais relevantes dos últimos sete dias.

O megaleilão do pré-sal é o principal assunto do Resumo da Semana. A ata do Copom foi divulgada durante a semana e indicou um novo corte na taxa básica de juro na próxima reunião para definição da Selic. Além disso, o banco inter lançou um novo Super App, enquanto a Eletrobras teve novas noticias sobre sua privatização e a natura teve a aquisição da Avon aprovada pelo CADE.

Confira os principais pontos do Resumo da Semana:

Megaleilão do pre-sal

O megaleilão do excedente da cessão onerosa do pré-sal foi realizado na ultima quarta-feira (6). O governo federal pretendia arrecadar cerca de R$ 106,5 bilhões na operação. Entretanto, o montante total ficou em R$ 69 bilhões.

Saiba mais: Leilão de cessão onerosa arrecada 70% do esperado

A cessão onerosa do pré-sal é a área excedente de exploração encontrada na Bacia de Santos (Búzios, Sépia, Atapu e Itapu), em São Paulo. A estimativa era de que os produtores globais tivessem interesse nos campos do megaleilão pelo tamanho e a garantia dos bons resultados.

14 petroleiras estavam inscritas no megaleilão

De acordo com uma publicação do Diário Oficial da União, 14 empresas de petróleo se habilitaram para participar do megaleilão. A Petrobras foi a única estatal brasileira a manifestar interesse.

Confira as listas das empresas que estavam habilitadas e também as que não estavam habilitadas a operar:

Regras para leilão

O valor pago pelo campo não era a única regra do leilão. A empresa ou consórcio que apresentasse o maior percentual do excedente em óleo para a União vencia a rodada. As ofertas mínimas do percentual foram fixadas em:

  • 23,24% para Búzios
  • 27,88% para Sépia
  • 26,23% para Atapu
  • 18,15% para Itapu

O vencedor ganharia direito de explorar uma área em que há reservatórios, no entanto, não há certeza de que de fato encontrará petróleo. Mesmo assim, as expectativas são de que haja muito petróleo a ser extraído nas áreas.

Segundo a Agência Nacional do Petróleo (ANP), existem entre 6 bilhões e 15 bilhões de barris nos quatros campos que estão em oferta no megaleilão do excedente da cessão onerosa.

Petrobras

A Petrobras foi a petroleira que mais se destacou nos leiloes que aconteceram nesta semana. Junto a empresas chinesas, a estatal arrematou 3 campos. Na última quarta-feira (6), a petroleira brasileira, junto as chinesas CNODC e CNOCC, fez uma oferta pelo campo de Búzios e o arrematou. A empresa ficou com 90% do consórcio e cada empresa chinesa ficou com 5%.

Além de Búzios, a Petrobras também arrematou sozinha o bloco de Itapu, no pré-sal da Bacia de Santos. Para a empresa brasileira, os baixos investimentos necessários e as condições de aquisição fará de Itapu uma área “extremamente atrativa economicamente”.

Após o leilão da última quarta-feira (6), a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) realizou uma nova licitação de blocos do pré-sal na Bacia de Santos. Cinco áreas foram ofertadas, porém apenas uma foi vendida.

Mais uma vez a Petrobras foi a responsável pelo arremate. O bloco adquirido foi o de Aram. O negócio foi feito junto a chinesa CNODC, com lance único.

No leilão da última quinta, o Governo Federal esperava arrecadar R$ 7,85 bilhões, entretanto apenas R$ 5,05 bilhões foram arrecadados.

Ata do Copom

A Ata do Comitê de Política Monetária (Copom) divulgada nesta semana, em Brasília, também é um ponto de destaque do Resumo da Semana. A ata sinaliza um possível novo corte na taxa básica de juros (Selic) em dezembro. No dia 30 de outubro, o comitê diminuiu a taxa básica de 5,5% para 5% ao ano.

“O Copom debateu, então, a conveniência de oferecer alguma perspectiva sobre possíveis cenários para a política monetária. Decidiu comunicar sua avaliação de que a consolidação do cenário benigno para a inflação prospectiva deverá permitir um ajuste adicional, de igual magnitude, no grau de estímulo monetário”, informou a ata.

Saiba mais: Ata do Copom aponta para novo corte na Selic no mês que vem

De acordo com o comitê, o ritmo de crescimento da economia brasileira acontecerá gradualmente. “O comitê estima que o Produto Interno Bruto (PIB) deve ter apresentado crescimento no terceiro trimestre. Os trimestres seguintes devem apresentar alguma aceleração, que deve ser reforçada pelos estímulos decorrentes da liberação de recursos do FGTS [Fundo de Garantia do Tempo de Serviço] e PIS-Pasep [Programa de Integração Social/Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público] – com impacto mais concentrado no último trimestre de 2019”, disse o comunicado.

Banco Inter

O Banco Inter (BIDI3) não poderia ficar de fora do Resumo da Semana. Com o objetivo de atrair mais clientes, a instituição informou, no início da semana, que estava se preparando para lançar seu super aplicativo que oferece entregas de alimentos e serviços.

Saiba mais: Banco Inter lança aplicativo com 60 empresas parceiras; veja entrevista

O Banco Inter justificou que cada vez mais os brasileiros desejam diversas funcionalidades em apenas um aplicativo. Na última quinta-feira, a instituição lançou o aplicativo que permite que os clientes realizem compras diretas de lojas parceiras, além de terem acesso à conta digital. O “Super App”, como é chamado, foi lançado com mais de 60 parcerias.

Por meio do aplicativo, o Banco Inter receberá uma remuneração das empresas parceiras. Uma parte deste valor será repassada aos clientes em forma de cashback.

Banco Inter adquire DLM

O Banco Inter anunciou a aquisição de 70% da gestora DLM Invista Gestão de Recursos também nesta semana. O valor total da negociação ficou em R$ 49 milhões. O objetivo da instituição com o novo negócio é fortalecer a plataforma digital de investimentos.

A DLM tem R$ 4,5 bilhões em ativos e está no mercado há 15 anos atuando com gestão de patrimônio, por meio de fundos e carteiras de clientes que possuem alta renda. Vale destacar que o Banco Inter também divulgou seu balanço trimestral nesta semana.

Eletrobras

O presidente Jair Bolsonaro assinou, nesta semana, o projeto de lei que estabelece as medidas para a privatização da Eletrobras (ELET3; ELET6). A privatização da Eletrobras, de acordo com estimativas do governo, pode levantar R$ 16,2 bilhões, sendo realizada no ano que vem. O montante já consta no Orçamento de 2019.

Saiba mais: Decreto presidencial confirma aumento de capital da Eletrobras

A estatal, em comunicado ao mercado, confirmou a assinatura do texto e disse que o processo “deverá cumprir todo o rito legislativo até a sua promulgação”.

A secretária-executiva do Ministério de Minas e Energia, Marisete Pereira, disse que o projeto do Governo Federal para a privatização da Eletrobras pode envolver uma oferta secundária.

A Eletrobras confirmou, também nesta semana, que Bolsonaro autorizou o aumento de capital de até R$ 9,9 bilhões. O Conselho de Administração aprovou o processo no dia 14 de outubro.

Natura

Para fechar o Resumo da Semana, a Natura conseguiu a aprovação do  Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) para a aquisição da Avon, na última quarta-feira (6). O comunicado sobre a negociação foi enviado pela Natura à Comissão de Valores Mobiliários (CVM). A negociação entre as duas empresas foi aprovada pelo órgão regulador sem restrições. A Avon foi avaliada em US$ 3,7 bilhões.

“A decisão não será final até que seja publicada no ‘Diário Oficial da União’, e decorrido o prazo de 15 dias a contar de tal publicação, para eventuais recursos, nos termos da legislação aplicável”, informou a empresa de cosméticos brasileira.

A venda ainda deverá ser aprovada por autoridades que defendem a concorrência no mercado. Além disso, está sujeita ao cumprimento de outras condições precedentes.

“As companhias manterão seus acionistas e o mercado informados a respeito da consumação das demais condições precedentes e fatos subsequentes relacionados à Transação na forma da lei e da regulamentação da CVM”, diz o comunicado.

Fique ligado no Resumo da Semana da Suno Notícias para ficar por dentro de todas as informações mais relevantes dos últimos dias.

Compartilhe a sua opinião

Juliano Passaro
Juliano Passaro escreve sobre política, economia e negócios para o portal da Suno Research. Antes da Suno, trabalhou no Portal da Band. É formado em jornalismo pela Universidade Presbiteriana Mackenzie.