Internacional

Reino Unido deve ter escassez de remédios e comida em Brexit sem acordo

0

De acordo com informações do jornal “The Sunday Times”, caso o Brexit aconteça sem acordo entre as partes, o Reino Unido pode sofrer com a escassez de alimentos, remédios e combustível.

O jornal obteve informações de documentos secretos do governo britânico, que supostamente mostram consequências da saída do Reino
Unido da União Europeia sem um acordo. Entretanto, defensores do Brexit afirmam que esses documentos evidenciam “o pior cenário possível”.

O documentos dizem que 85% dos caminhões que passam pelo Canal da Mancha para irem à França não estariam preparados para a alfândega do país vizinho. Isso poderia ocasionar um congestionamento que perduraria por dias.

Além disso, 75% dos medicamentos que chegam a maior ilha britânica, Grã Bretanha, fazem o percurso pelo Canal da Mancha, o que torna o processo “particularmente vulneráveis a atrasos severos”, de acordo com o documento.

Boris Johnson, primeiro-ministro britânico, disse que está pronto para deixar a União Europeia. Com isso, integrantes do governo afirmam que a troca de dados policiais podem ter mais obstáculo após o dia 31 de outubro.

Deputados britânicos estão preocupados com a aproximação do prazo final do Brexit. “Estamos diante de uma emergência nacional, e o parlamento deve ser convocado de imediato”. Dessa forma, os parlamentares resolveram enviar uma carta pública pedindo que Johnson faça uma sessão extraordinária do Parlamento para discutir o Brexit.

Veja também: Macri faz mudança no ministério da Economia para assegurar pacote anticrise

Angela Merkel e Reino Unido

A chanceler alemã Angela Merkel tem uma reunião marcada com Boris Johnson, primeiro-ministro do Reino Unido, na próxima quarta-feira (21). A reunião terá como pauta principal a saída do Reino Unido da União Europeia. O Brexit deve impactar outros países, como a Alemanha, mas Merkel afirmou que seu país está preparado.

Johnson deve usar como argumento, para uma negociação do Brexit, o fato de o Reino Unido ter a segunda maior economia da União Europeia. Caso não haja um acordo, no dia 31 de outubro o Reino Unido sairá repentinamente do bloco.

Compartilhe a sua opinião

Juliano Passaro
Juliano Passaro escreve sobre política, economia e negócios para o portal da Suno Research. Antes da Suno, trabalhou no Portal da Band. É formado em jornalismo pela Universidade Presbiteriana Mackenzie.