Negócios

Reddit obtém investimentos de US$ 300 milhões

0

A rede social Reddit vai receber um investimento de US$ 300 milhões.

A informação foi divulgada nesta segunda-feira (11) pelo Reddit. O aporte compreende nomes como a chinesa Tencent e fundos como Sequoia, Fidelity e Andreessen Horowitz. Com os investimentos, a empresa obteve um valor de mercado de US$ 3 bilhões.

Saiba mais: Facebook gasta 50% mais em 2018; foco foi infraestrutura e segurança

Segundo a empresa, já foram investidos US$ 550 milhões. No levantamento anterior, ocorrido em 1 de agosto, o Reddit tinha sido avaliado em cerca de US$ 1,8 bilhão. Além disso, nas três últimas capitações a companhia levantou US$ 250 milhões.  A plataforma possui mais de 20 investidores.

Com 330 milhões de usuários mensais, o Reddit é o quinto site mais visualizado dos Estados Unidos. Para efeito de comparação, o Twitter teve 320 milhões de usuários mensais no último trimestre do ano passado. Segundo dados de novembro de 2017, a média mensal da empresa chegou a 14 bilhões de visualizações.

Saiba mais: Dona do Google, Alphabet registra avanço expressivo de receita em 2018

O site foi fundado em 2005 e comprado pela editora Condé Nast em 2006 e deixou o controle da companhia em 2011. Até as ações desta segunda-feira, a editora tinha parcela considerável da rede social.

China

A junção entre a chinesa Tencent e a Reddit gerou revoltas entre os usuários. O Tencent é uma empresa que está submetida à censura do governo chinês. A plataforma possui o dispositivo “grande firewall da China“, que impede a livre circulação de informações.

Saiba mais: Ações sobem e Apple é a maior empresa dos EUA em valor de mercado

Por outro lado, a empresa americana é conhecida como um site com total liberdade de expressão. Mais de 138 mil comunidade discutem diversos temas. Dessa forma, alguns usuários do Reddit estão compartilhando fotos proibidas na China, como a imagem do Massacre da Paz Celestial.

Compartilhe a sua opinião

Renan Dantas
Escreve sobre política e mercado financeiro para o portal Suno Notícias. Antes, atuou na assessoria de comunicação do Ministério Público do Trabalho e na Rádio Mackenzie, onde apresentava e produzia um programa sobre artistas da música brasileira. É estudante na Universidade Presbiteriana Mackenzie.