Negócios

Rappi lança ‘cashback’ para clientes em parceria com a PayPal

0

Rappi e a Paypal estão lançando uma nova campanha de cashback para usuários da plataforma de pedidos online de alimentos, bebidas e itens de farmácia. O usuário que fizer uma operação, acima de R$ 10, pelo app do Rappi e pagar pelo Paypal terá direito a 3% do seu dinheiro de volta.  As informações foram divulgadas no último domingo (16).

O valor, entretanto, não volta em dinheiro e sim na forma de RappiCréditos. Estes créditos podem ser utilizados para compras em qualquer segmento da Rappi. Esta ação será encerrada no dia 28 de fevereiro. O uso é ilimitado.

“Queremos oferecer diferentes benefícios aos nossos usuários, e essa oferta com o PayPal vem ao encontro dessa premissa”, diz Fernando Vilela, head de Growth e Marketing da empresa de entregas no Brasil.

Processo judicial da Rappi nos EUA

A Rappi anunciou em janeiro que estava realizando demissões em massa e também enfrentava um processo nos Estados Unidos, que acusava a empresa de roubar segredos comerciais para desenvolver seus serviços de entrega.

A companhia de Bogotá pretende reduzir sua força de trabalho em 6% para realizar ajustes em sua equipe de tecnologia. Há um processo contra a Rappi no tribunal federal de São Francisco, em que três empresários colombianos acusam o cofundador da empresa de ter copiado seus planos quando desenvolveu o aplicativo.

Veja também: Carrefour compra 30 lojas do Makro por R$ 1,95 bi

Simon Borrero, presidente da Rappi, é acusado de ter roubado segredos comerciais em 2015, ano em que o executivo e a companhia de desenvolvimento de software “Imaginamos” foram contratados para trabalhar em aplicativo de entrega chamado “Kuiky”. No fim de 2015, Borrero lançou a Rappi, de acordo com o processo.

A Rappi informou, em nota, que se defenderia de forma contundente, classificando as alegações de “objetivamente incorretas”. Apesar de não ter comentado detalhadamente as alegações, a empresa comunicou que registrou sua marca com autoridades colombianas e o nome de domínio na Internet em meados de 2014.

Telegram Suno

Compartilhe a sua opinião

Juliano Passaro
Juliano Passaro escreve sobre política, economia e negócios para o portal da Suno Research. Antes da Suno, trabalhou no Portal da Band. É formado em jornalismo pela Universidade Presbiteriana Mackenzie.