Raia Drogasil (RADL3) aprova desdobramento de ações em assembleia

Raia Drogasil (RADL3) aprova desdobramento de ações em assembleia
Fachada de farmácia Raia Drogasil. (foto: divulgação)

A Raia Drogasil S.A. (RADL3) informou, na noite da última terça-feira (15), que, em Assembleia Geral Extraordinária, foi aprovado o desdobramento da totalidade das ações de emissão da companhia, na proporção de 5 ações ordinárias para cada 1 ação da mesma espécie existente nesta data (1:5), sem alteração do valor do capital social.

lead suno imagem ilustrativa

Receba as principais notícias do mercado diariamente.

Receba Grátis conteúdo exclusivo sobre Poupança, Ações, Economia e muito mais!

Parabéns! cadastro feitocom sucesso.

lead suno background

O desdobramento de 1 para 5 significa que, para cada ação ordinária de sua titularidade, o acionista receberá, devido a operação, mais 4 ações da mesma espécie, passando a deter, ao final, 5 ações ordinárias de emissão da empresa.

Apesar do número de ações ordinárias em que se divide o capital social da empresa passar de 330.386.000 ações para 1.651.930.000 ações, na mesma proporção, a operação não irá alterar o valor o capital social da Raia Drogasil, que é de R$ 2,5 bilhões e está totalmente subscrito e integralizado.

Suno One: acesse gratuitamente eBooks, Minicursos, Artigos e Video Aulas sobre investimentos com um único cadastro. Clique para saber mais!

“As novas ações resultantes do desdobramento conferirão aos seus titulares os mesmos direitos das ações ordinárias então existentes, inclusive em relação aos dividendos e/ou juros sobre capital próprio que vierem a ser declarados a partir de 16 de setembro de 2020”, destacou a companhia.

As ações de emissão da Raia Drogasil serão negociadas “ex” desdobramento a partir da próxima segunda-feira (21), considerando a posição acionária em 18 de setembro de 2020. As ações adicionais em decorrência do desdobramento serão creditadas aos acionistas da empresa na próxima quarta-feira (23).

Lucro da Raia Drogasil no 2T20

Raia Drogasil registrou um lucro líquido de R$ 60,2 milhões no segundo trimestre deste ano. O valor representa uma queda de 60% em comparação ao mesmo período do ano passado. Uma das razões para a queda nos resultados foi a imposição de medidas restritivas de circulação em decorrência da pandemia de coronavírus. “Com os primeiros casos chegando ao Brasil em março, o isolamento social começou na última semana do mês e resultou em um segundo trimestre com redução no tráfego e consumo, e também na quantidade de consultas médicas e cirurgias eletivas, estes levando à uma queda na demanda por medicamentos associados a tratamentos agudos não urgentes”, informou a varejista farmacêutica.

Juliano Passaro

Compartilhe sua opinião