Objetivo da Quero-Quero (LJQQ3) é abrir 50 novas lojas até o fim do ano

Objetivo da Quero-Quero (LJQQ3) é abrir 50 novas lojas até o fim do ano
Papéis da Quero-Quero avançam após divulgação de resultados

O objetivo da Lojas Quero-Quero (LJQQ3) é conseguir abrir 50 lojas até o fim desse ano, ou até 52, dependendo do desenvolvimento da economia, segundo informou o presidente da companhia, Peter Furukawa, nessa quinta-feira (13) em uma teleconferência sobre os resultados da varejista de material de construção no segundo trimestre desse ano.

lead suno imagem ilustrativa

Receba as principais notícias do mercado diariamente.

Receba Grátis conteúdo exclusivo sobre Poupança, Ações, Economia e muito mais!

Parabéns! Cadastro feito com sucesso.

Ops! Algo deu errado. Tente novamente.

lead suno background

Segundo Furukawa, a Lojas Quero-Quero está sendo capaz de abrir novas lojas, mesmo com os impactos da pandemia do novo coronavírus (Covid-19) prejudicando os negócios.

“Buscamos atuar em cidades pequenas, de até 100 mil habitantes, com isso nós criamos um sentimento de proximidade com a comunidade, de pertencimento, isso aproxima bastante. Durante a pandemia nós intensificamos os contatos com clientes por WhatsApp e continuamos dando créditos, tanto que apesar de tudo, nosso caixa aumentou e a dívida diminuiu”.

Suno One: o primeiro passo para alcançar a sua independência financeira. Acesse agora, é gratuito!

A companhia divulgou na última quarta-feira (12) seus resultados do segundo trimestre desse ano. Nessa quinta-feira, foi sua primeira teleconferência de resultados como companhia aberta.

Os números divulgados ontem fizeram os papéis da varejista, que são negociados na B3, avançarem 3%, sendo cotados a R$ 13,03.

Resultados da Quero-Quero no 2T20

A varejista de material de construção divulgou seu primeiro balanço, após sua estreia recente na Bolsa de Valores de São Paulo (B3). A companhia registrou lucro líquido de R$ 4,4 milhões no segundo trimestre. Esse valor representa um aumento de 228,4% em relação ao mesmo período no ano passado, quando havia registrado R$ 1,4 milhão.

A receita líquida foi de R$ 349,1 milhões, alta de 20,7% no período de abril a junho. Por sua vez, a receita bruta aumentou 15,1%, para R$ 434,8 milhões. O destaque foi o varejo que cresceu 16,8%, representando 75,6% das receitas, resultado do crescimento de 7,2% das vendas mesmas lojas (Same Stores Sales -SSS).

O Ebitda (lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado da Quero-Quero foi de R$ 25,8 milhões no trimestre e R$ 41,1 milhões no primeiro semestre, com margem Ebitda ajustado de 7,4% no período de abril a junho e 6,2% nos primeiros seis meses.

Laura Moutinho

Compartilhe sua opinião