Negócios

Produção industrial avança 0,5% em fevereiro, aponta IBGE

0

A produção industrial registrou avanço de 0,5% em fevereiro, em comparação com janeiro de 2020, na série com ajuste sazonal. No entanto, em relação ao mesmo período no ano de 2019, o setor teve recuo de 0,4%. Os dados foram apurados e divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), nesta quarta-feira (1).

No ano a produção industrial acumulou queda de 0,6%, em relação aos 12 meses, a atividade industrial também acumulou um recuo de 1,2%. Das 26 atividades analisadas, 15 apontaram crescimento na produção.

“Vale destacar que o avanço de 1,6% acumulado nesses dois primeiros meses de 2020 eliminou apenas uma parte da redução de 2,5% verificada nos dois últimos meses de 2019. Com esses resultados, o setor industrial ainda se encontra 16,6% abaixo do nível recorde alcançado em maio de 2011”, informou o IBGE

Atividades da produção industrial em fevereiro

No avanço de 0,5% da atividade industrial na passagem de janeiro para fevereiro de 2020, duas das quatro grandes categorias econômicas e 15 dos 26 ramos pesquisados mostraram expansão na produção.

Entre as atividades, as influências positivas mais importantes foram:

  • veículos automotores, reboques e carrocerias (2,7%)
  • produto químicos (2,6%)
  • produtos alimentícios (0,6%)
  • produtos de celulose, papel e produtos de papel (2,4%)
  • produtos farmoquímicos e farmacêuticos (3,2%)
  • produtos de borracha e de material de plástico (2,1%)

Por outro lado, entre os dez ramos que reduziram a produção nesse mês, o desempenho de maior importância para a média global foi registrado por:

  • produtos derivados do petróleo e biocombustíveis (-1,8%)
  • produtos eletrônicos e ópticos (-5,8%)
  • equipamentos de transporte (-8,7%)

Indústria em comparação com fevereiro de 2019

Na comparação com igual mês do ano anterior, o setor industrial teve queda de 0,4% em fevereiro de 2020, com resultados negativos em três das quatro grandes categorias econômicas, 14 dos 26 ramos.

Entre as atividades, as influências positivas mais importantes foram:

  • veículos automotores, reboques e carrocerias (-9,3%)
  • equipamentos de transportes (-22,6%)
  • equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos (-10,6%)
  • equipamentos de manutenção, reparação e instalação de máquinas e equipamentos (-13,5%)
  • equipamentos de máquinas (-3,8%)
  • equipamentos de impressão e reprodução de gravações (-25,8%)
  • aparelho e matérias elétricos (-3,6%)

Bolsa em queda livre!? Aproveita as maiores oportunidades da bolsa brasileira com nosso acesso Suno Premium

Os impactos positivos importantes foram:

  • produtos químicos (3,4%)
  • produtos de bebida (4,5%)
  • produtos de celulose, papel (4,1%)
  • produtos de fumo (35,7%)
  • produtos de borracha e de material plástico (2,8%)
  • produtos metalurgia (1,2%)

O segmento de bens de consumo duráveis da produção industrial recuou 11,6% em fevereiro de 2020 frente a igual período do ano anterior, interrompendo cinco meses de taxas positivas consecutivas nesse tipo de comparação.

Telegram Suno

Compartilhe a sua opinião

Poliana Santos
Poliana Santos escreve sobre economia e política para o portal Suno Notícias. Antes, colaborou na Rádio Gazeta AM, onde era responsável pela produção do programa Bom Dia Gazeta. É estudante da Faculdade Cásper Líbero.