Finanças pessoais

Confira os 3 melhores FIIs pensando em sua previdência

0

A reforma da Previdência, apresentada pelo governo do presidente Jair Bolsonaro, está atualmente em fase de aprovação no Senado Federal. As mudanças previstas por essa Proposta de Emenda Constitucional (PEC) têm movimentado o mercado nacional e aumentado as preocupações da população sobre sua aposentadoria futura.

Segundo uma pesquisa do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC), divulgada no ano passado, cerca de 47% da população idosa que já se aposentou continua ativa no mercado de trabalho. Isso por causa da insuficiência da renda proveniente dos benefícios da Previdência Social.

Os dados apontam que os aposentados ainda trabalham por necessidade financeira. Cerca de 85% deles recebem menos de dois salários mínimos. Enquanto mais de dois terços do total recebe apenas um salário mínimo.

Cenário complicado para a previdência

Após sua aprovação, a reforma da Previdência não mudará esse cenário. Ao contrário, por causa das mudanças demográficas e do mercado de trabalho os brasileiros serão obrigados a trabalhar mais e poderiam receber benefícios cada vez menores em relação aos atuais aposentados.


Na base desse cenário, se torna cada vez mais necessário investir ao longo do tempo para garantir o mesmo patamar de vida no momento da aposentadoria. Realizar investimentos pensando no longo prazo garante não somente independência financeira mas também liberdade de eventuais, prováveis, novas mudanças nas regras do INSS.Entre os investimentos mais indicados para quem quer garantir uma aposentadoria digna estão os Fundo de Investimento Imobiliário (FIIs). Confira os três melhores fundos imobiliários para investimento previdenciário indicados pelos analistas da SUNO Research

No entanto, antes de realizar qualquer investimento, é importante ressaltar que quitar as dívidas deverá ser sempre a prioridade. Somente apos eliminar os passivos que se poderá iniciar a investir.

Como funcionam os fundos imobiliários?

O Fundo de Investimento Imobiliário (FIIs) é formado por um grupo de pessoas que tem como objetivo investir em ativos imobiliários. É constituído por um administrador, que tem como função principal investir nesses ativos que podem ser, entre outros:

  • shoppings,
  • galpões logísticos,
  • hospitais,
  • prédios corporativos,

O administrador é responsável por encontrar e realizar os investimentos mais interessantes e garantir boa rentabilidade para o fundo. Cada FIIs tem um perfil e é importante que o investidor conheça bem o seu próprio perfil e defina o investimento que mais o agrada.

Alguns fatores estão contribuindo atualmente para o cenário de investimento em fundos, como a redução na taxa básica de juros (Selic) por parte do Banco Central, assim como a retomada econômica do País.

Confira Também: FIIS Summit: começou o maior evento de fundos imobiliários do Brasil

A Selic, atualmente em seu patamar mais baixo da série histórica, estimula a concessão de crédito, o que permite um crescimento no setor imobiliário.Por sua vez, a retomada do crescimento econômico brasileiro dos últimos meses faz com que esses imóveis se valorizem no mercado.

Os três melhores FIIs para sua previdência

O especialista em FIIs da Funds Explorer, Jacinto Neto, explica que os ativos diferem para cada investidor, mesmo quando o objetivo converge para sustentabilidade previdenciária. Por esse motivo, ele indica três setores que podem se beneficiar ao longo prazo.

“É difícil fazer uma recomendação, quando as expectativas para cada ativo difere entre os investidores. Por isso, é necessário olhar para setores que tendem a ser mais resilientes para o longo prazo, pois possuem características que são complementares e podem melhor aproveitar os vários momentos macroeconômicos”, explica Neto.

De acordo com o especialista, os setores de FIIs que possuem maior resiliência ao longo do prazo são:

  1. Fundos imobiliários multiativos de shoppings-centers;
  2. Fundos imobiliários de recebíveis imobiliários (papéis);
  3. Fundos imobiliários com vários contratos atípicos (de longo prazo, 10 anos ou mais).

1° Fundos Imobiliários multiativos de shoppings-centers

No Fundo Multiativos de shoppings-centers, o administrador compra um ou mais imóveis, aluga para lojistas e distribui a renda líquida gerada pelos aluguéis ao grupo.

A rentabilidade desse investimento depende do mercado imobiliário e do desempenho do varejo. Desse modo, quando os índices do varejo estão altos costumam surgir mais interesse em alugar espaço no shopping.

2° Fundos imobiliários de recebíveis imobiliários (papéis)

Os fundos de recebíveis imobiliários “investem em certificados de recebíveis imobiliários (CRIs) que são financiamentos imobiliários transformados em títulos financeiros negociados no mercado financeiro”.

O fundo de CRI compra o direito de receber créditos concedidos para a aquisição ou construção de imóveis. A rentabilidade é um retorno de IGP-M mais 8% ao ano.

 3° Fundos imobiliários com vários contratos atípicos (de longo prazo, 10 anos ou mais)

“Os contratos atípicos são contratos de locação, novamente, de longo prazo, com multas rescisórias equivalentes aos fluxos de caixa restantes até o fim do contrato de locação”, explica Neto.

Esse investimento se assemelha com os fundos de shoppings, no entanto, ao invés de ter centenas de inquilinos, o administrador compra mais de um imóvel. Os contratos de locação fechados pelo investimento são reajustados anualmente pelo IGP-M.

FIIs como complemento da aposentadoria

Os fundos imobiliários são sem dúvida alguns dos melhores investimentos realizáveis pensando na própria previdência. Segundo o fundador da SUNO Research, Tiago Reis, “com disciplina e pensamento de longo prazo, pode-se dizer que se aposentar utilizando o mercado financeiro é uma realidade possível para todos”.

Compartilhe a sua opinião

Poliana Santos
Poliana Santos escreve sobre economia e política para o portal Suno Notícias. Antes, colaborou na Rádio Gazeta AM, onde era responsável pela produção do programa Bom Dia Gazeta. É estudante da Faculdade Cásper Líbero.