Negócios

Positivo lidera altas na B3 nesta quinta-feira

0

A Positivo (POSI3) lidera as altas na Bolsa de Valores de São Paulo (B3) nesta quinta-feira (5). Após fechar o pregão da última quarta-feira (4) com uma alta de 18,04%, por volta das 12h35 desta quinta, as ações ordinárias da empresa estavam valorizando 12,35%, sendo cotadas a R$ 11,10.

A Positivo apresentou um movimento de forte valorização em seus papéis nas últimas duas semanas, quando algumas das maiores corretoras de valores do País recomendaram a compra das ações.

Apenas nos últimos 30 dias, as ações da empresa de origem brasileira valorizaram 110,66%. Nos últimos 12 meses, apresentaram uma alta de 341,07%.

Confira: Grupo Positivo deve fechar venda de negócio para a Cruzeiro do Sul

A empresa sediada em Curitiba, no Paraná, foi listada na B3 em 2006 e é uma das maiores fabricantes de computadores do Brasil. Após dois anos seguidos reportando prejuízos ao seus acionistas, a Positivo deve apresentar um resultado positivo ao final deste ano.

Positivo procura encontrar caminho da recuperação

Com faturamento de R$ 1,9 bilhão no ano passado, a companhia está em meio à licitação para fornecer ao governo a urna eletrônica, utilizada nas eleições em todo o País. O valor contrato é de R$ 696,4 milhões. A empresa é líder de vendas por licitação há dez anos, de acordo com a consultoria IDC.

A XP Investimentos, em relatório publicado aos seus clientes na última quarta-feira (4), salienta a consolidação de liderança da empresa na fabricação de eletrônicos no Brasil. A corretora também destacou a variedade de produtos hardware que a Positivo oferece, nos segmentos de computadores e celulares.

Outros fatores que podem influenciar o crescimento da empresa, de acordo com os analistas, são:

  • exposição ao cenário de recuperação de consumo;
  • a desconexão entre múltiplos e fundamentos;
  • opcionalidades de crescimento, com licitações públicas e novas linhas de negócio.

Com operações em Manaus e Curitiba, a Positivo Tecnologia se recupera de R$ 47,6 milhões em perdas apenas em 2017, período em que teve que lidar com um descumprimento de contrato público, deixando-a com um produto altamente específico em estoque, que veio a se tornar ultrapassado.

Saiba mais: As três principais small caps para 2020

Com o valor de mercado de R$ 974,58 milhões, a companhia apresentou um lucro líquido de R$ 15,5 milhões no intervalo de janeiro-setembro deste ano, uma alta de 607% em comparação com o mesmo período de 2018.

Já o Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) da Positivo foi de R$ 40,7 milhões, com uma Margem Ebitda de 8,6%, 1,2 p.p. maior do que o terceiro trimestre do ano passado.

Compartilhe a sua opinião

Jader Lazarini
Jader Lazarini escreve sobre mercado financeiro, política e economia para o portal de notícias da Suno Research. Anteriormente, trabalhou na Unidas. Estuda Relações Internacionais na Universidade Anhembi Morumbi.