Pix reduzirá custos para as empresas, segundo Campos Neto

Pix reduzirá custos para as empresas, segundo Campos Neto
Pix deve começar a funcionar em 16 de novembro

O Presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, declarou nessa quarta-feira (9), enquanto participava da abertura do evento ‘Conexão Pix’, que a implantação do novo sistema de pagamentos instantâneos da autarquia, o Pix, diminuirá o custo operacional das empresas, além de proporcionar mais eficiência no fluxo de caixa.

lead suno imagem ilustrativa

Receba as principais notícias do mercado diariamente.

Receba Grátis conteúdo exclusivo sobre Poupança, Ações, Economia e muito mais!

Parabéns! cadastro feitocom sucesso.

lead suno background

Campos Neto salientou que tanto as pequenas lojas, quanto as grandes, poderão ter menos despesas com segurança e transporte de cédulas de dinheiro com a chegada do Pix.

O presidente da autarquia disse que “é um instrumento que faz com que a gestão de fluxo de caixa atinja um novo patamar de eficiência. Menos custos significa mais margem [de lucro] para quem está de um lado e menos preço para quem está no outro”.

No Suno One você aprende a fazer seu dinheiro para trabalhar para você. Cadastre-se gratuitamente agora!

Além disso, ele destacou que “é muito importante entender essa mudança que estamos passando e como isso tem sido intensificado pela crise, pela pandemia. A gente vê o número de pagamentos digitais crescendo. Há um movimento de inovação que se acelerou em várias áreas”.

O modelo de pagamentos instantâneos está entre os principais projetos do BC.

Cabe ressaltar que o novo sistema de pagamentos começará a funcionar a partir de 16 de novembro. A ferramenta permitirá que transações sejam feitas 24 horas por dia.

Presidente do Bradesco defende criação do Pix, mas indica preocupações

Em meados de agosto,  o presidente do Bradesco (BBDC3;BBDC4), Octavio Lazari Jr., indicou que defende a criação do Pix. Entretanto, o executivo também expressou preocupação com a adoção de uma só vez do programa pela autoridade monetária.

A declaração foi feita enquanto o executivo participava de um evento em São Paulo. Segundo destacou Lazari, “O Pix é uma evolução positiva em meios de pagamentos. Nossas empresas vão perder receitas, mas faz parte do jogo”.

Apesar do comentário otimista, o executivo disse que se preocupa com as possíveis fraudes no uso do Pix e com o controle e centralização das transações no Banco Central, já que a instituição liquidará os pagamentos.

Laura Moutinho

Compartilhe sua opinião