PIB do Brasil poderá cair 4% em 2020, diz BNP Paribas

PIB do Brasil poderá cair 4% em 2020, diz BNP Paribas
BNP Paribas prevê queda de -5% no PIB e preocupação com situação fiscal

Em razão do novo coronavírus (Covid-19), o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil pode cair 4% em 2020, segundo a nova estimativa do banco BNP Paribas, divulgada nesta terça-feira (7). A instituição francesa revisou sua previsão, que era uma queda de 1,5% na economia brasileira neste ano, conforme reportado em março.

“Com mais dados ficando disponíveis e levando em conta as medidas tomadas pelos governos, nós agora projetamos uma contração de 4% no PIB”, informam o economista-chefe do BNP Paribas no Brasil, Gustavo Arruda, e pela economista Amabile Ferrazoli.

Do ponto de vista fiscal, os especialistas esperam um déficit de orçamento primário de R$ 515 bilhões, ou aproximadamente 7,3% do PIB. Além disso, enxergam a dívida bruta do País atingindo 90% do PIB, de acordo com o relatório assinado pelos economistas.

No mês passado, O banco informou que o corte de 0,50% na taxa básica de juros da economia (Selic), anunciado no dia 18 de março, está de acordo com sua expectativa. “No entanto, nossa projeção foi feita assumindo um impacto muito menor da Covid-19”, informa o relatório. O BNP diz que a crise gerada pelo vírus poderá fazer com que a Selic volte a ser reduzida.

Segundo a instituição francesa, as reformas administrativa e tributária continuam sendo importantes, mas ressalta que os assuntos não devem ser tratados no Congresso Nacional enquanto o país estiver em “estado de calamidade pública”.

Confira: PIB do Brasil vai cair 2,7% em 2020, prevê Oxford Economics

Na última segunda-feira (6), o Boletim Focus, apresentado pelo Banco Central (BC), informou que os especialistas das maiores instituições do mercado financeiro brasileiro esperam uma queda de 1,18% no PIB deste ano. No começo do ano, no entanto, a previsão era de um avanço de 2,30%. Os efeitos da pandemia do coronavírus impactam a economia que apresentou um crescimento de 1,1% em 2019.

Tags
Jader Lazarini

Compartilhe sua opinião