PIB: Bradesco (BBDC4) mantém previsão de queda de 5,9% para 2020

PIB: Bradesco (BBDC4) mantém previsão de queda de 5,9% para 2020
O Bradesco (BBDC4) informou, nesta quinta, que foram obtidas as autorizações regulatórias para a compra do BAC Florida Bank.

O Bradesco (BBDC3;BBDC4) informou nesta sexta-feira (26) que mantém sua estimativa de queda de 5,9% para o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil em 2020. A queda prevista é menor que a taxa mediana do mercado, de 6,5%.

De acordo com o relatório divulgado pelo Bradesco, o pior momento para a atividade econômica brasileira parece ter ficado para trás. O banco alega que ao mesmo tempo que haja a possibilidade de novas ondas de contaminação ao redor do mundo e a curva de infectados por coronavírus (covid-19) não ter estabilizado no Brasil, o ritmo de expansão da doença diminuiu.

“Com isso, as restrições à atividade econômica estão sendo gradualmente relaxadas o que, combinado aos estímulos fiscais e creditícios em vigor, tem levado à interrupção de revisões para cenários mais adversos de crescimento”, escrevem os economistas do banco no relatório.

Conheça o Suno One, a central gratuita de informações da Suno para quem quer aprender a investir. Acesse clicando aqui.

Além disso, os especialistas concluíram informando que “os efeitos da pandemia sobre o mercado de trabalho não são totalmente conhecidos, mas os dados sugerem cautela ao nosso cenário para o segundo semestre, uma vez que o emprego e a renda reagem com defasagens”.

Banco Central prevê tombo de 6,4% para o PIB em 2020

O Banco Central (BC) revisou sua projeção para o crescimento econômico do Brasil em 2020 e passou a projetar uma retração de 6,4% do PIB. A informação foi divulgada nesta quinta-feira (25) no relatório de inflação.

Antes, a expectativa do Banco Central era de estabilidade para o PIB neste ano, porém, a revisão da estimativa decorreu dos impactos da pandemia do novo coronavírus na economia do Brasil.

Veja também: Banco Central prevê tombo de 6,4% para o PIB em 2020

A expectativa da instituição é pior do que a estimativa do Ministério da Economia, que prevê um recuo de 4,7% da atividade neste ano. Já os economistas consultados pelo BC na elaboração do último Boletim Focus previram queda de 6,50% para o PIB.

Daniel Guimarães

Compartilhe sua opinião