PF cumpre mandados de busca em operação contra fraude nos Correios

PF cumpre mandados de busca em operação contra fraude nos Correios
PF cumpre mandados de prisão no âmbito da operação Lava Jato.

A Polícia Federal (PF) cumpre nesta terça-feira (4) 12 mandados de busca e apreensão na segunda fase da operação Postal Off, que investiga fraude nos Correios — uma organização criminosa subfaturava os valores para a postagem de cartas comerciais.

lead suno imagem ilustrativa

Receba as principais notícias do mercado diariamente.

Receba Grátis conteúdo exclusivo sobre Poupança, Ações, Economia e muito mais!

Parabéns! cadastro feitocom sucesso.

lead suno background

A organização conta com a participação de sete funcionários dos Correios e de um empresário titular de agências franqueadas da estatal. No esquema, cargas eram distribuídas no fluxo postal sem faturamento ou com faturamento muito inferior, o que resultou em prejuízo de R$ 94 milhões aos Correios.

Os mandados de busca e apreensão estão sendo cumpridos nas seguintes regiões:

Suno One: o primeiro passo para alcançar a sua independência financeira. Acesse agora, é gratuito!

  • São Paulo (SP)
  • Praia Grande (SP)
  • São Vicente (SP)
  • Rio de Janeiro (RJ)

Além disso, foram expedidos mandados de afastamento de funcionários dos Correios de suas funções e medidas cautelares que determinam aos investigados restrições ao direito de ir e vir, bem como o compromisso de comparecimento a todos os atos de inquérito policial e de eventual processo criminal.

Na manhã desta terça, a PF apreendeu na casa de um dos suspeitos, na Barra da Tijuca (RJ), cerca de R$ 3,5 milhões em espécie.

Fraude nos Correios

A primeira etapa da Operação Postal Off teve início em novembro do ano passado no estado de Santa Catarina, quando a PF identificou o primeiro indício do crime.

De acordo com a Polícia, é investigada a participação ativa de funcionários dos Correios, que teriam feito com que grandes cargas dos clientes fossem distribuídas no fluxo postal sem faturamento ou com faturamento muito inferior ao devido. A atuação do grupo acontecia em São Paulo e Rio de Janeiro.

Nesta fase, foram deferidas medidas cautelados de bloqueio de bens dos investigados, como carros de luxo e imóveis de alto padrão, de aproximadamente R$ 55 milhões que foram utilizados para recuperar parte dos prejuízos aos cofres públicos.

Segundo a PF, em ambas as fases a investigação contou com a colaboração dos Correios.

Poliana Santos

Compartilhe sua opinião