Política

Governador do Rio de Janeiro é preso em nova etapa da Lava Jato

0

O governador do Rio de Janeiro Luiz Fernando Pezão (MDB) foi preso na manhã desta quinta-feira (29) pela Polícia Federal (PF).

A PF chegou à residência oficial do governador do Rio de Janeiro, o Palácio das Laranjeiras, por volta das 6h. A prisão do político faz parte da Operação Boca de Lobo, desdobramento da Lava Jato.

O pedido de prisão contra Pezão foi feito pela procuradora-geral da República (PGR), Raquel Dodge. A ordem de prisão preventiva foi expedida pelo Supremo Tribunal de Justiça (STJ), sob relatoria do ministro Felix Fischer.

De acordo com as investigações, “o governador integra o núcleo político de uma organização criminosa que, ao longo dos últimos anos, cometeu vários crimes contra a administração Pública, com destaque para a corrupção e lavagem de dinheiro”.

Saiba mais – Lula é denunciado pela Lava Jato por lavagem de dinheiro

Operação Boca de Lobo

A nova fase da Lava Jato, na qual Pezão é alvo, baseia-se na delação premiada de Carlos Emanuel Carvalho Miranda, operador financeiro de Sérgio Cabral (MDB). Cabral, que foi governador do Rio de Janeiro entre 2007 e 2014, foi preso na Operação Lava Jato em 2016.

Segundo Miranda, Pezão ganhava propinas por um valor de R$ 150 mil por mês por treze meses. Além disso, ele recebia até bônus de fim de ano no valor de R$ 1 milhão.

Em anotações das investigações de Cabral, referentes às supostas propinas, Pezão foi citado como “Big Foot” e “Pé”. Entretanto, quando questionado, o atual governador sempre negou envolvimento.

Saiba mais – Deutsche Bank sofre operação policial na manhã desta quinta 

Miranda afirmou também que Pezão pediu para que o dinheiro fosse entregue a um dos sócios da JRO Pavimentação, empresa de Cláudio Fernandes Vital.

Vital transferiu a sede de sua empresa para Piraí (RJ) após aproximar-se do governador. Os dois frequentemente tinham reuniões.

A PGR calcula que Pezão tenha recebida R$ 25 milhões entre 2007 e 2015. Com a correção da inflação, o valor se aproxima de R$ 39 milhões.

Tal quantia é incoerente com com o patrimônio declarado pelo político à Receita Federal. O STJ determinou o bloqueio de R$ 39 milhões em bens.

Além da prisão preventiva de Pezão, outros oito pedidos foram expedidos. Confira abaixo:

  • José Iran Peixoto Júnior, secretário de Obras
  • Affonso Henriques Monnerat Alves Da Cruz, secretário de Governo
  • Luiz Carlos Vidal Barroso, servidor da secretaria da Casa Civil e Desenvolvimento Econômico
  • Marcelo Santos Amorim, sobrinho do governador
  • Cláudio Fernandes Vidal, sócio da J.R.O Pavimentação
  • Luiz Alberto Gomes Gonçalves, sócio da J.R.O Pavimentação
  • Luis Fernando Craveiro De Amorim, sócio da High Control Luis
  • César Augusto Craveiro De Amorim, sócio da High Control Luis

4º governador eleito do RJ preso

O emedebista Pezão é o 4º governador do Rio de Janeiro a ser preso. Confira abaixo os nomes dos outros ex-governadores cariocas envolvidos na Lava Jato:

  • Sérgio Cabral: preso em novembro de 2016 na Operação Calicute, por acusação de propina em concessão de obras públicas.
  • Anthony Garotinho: preso em novembro de 2017 por crimes eleitorais.
  • Rosinha Matheus: presa em novembro de 2017 por crimes eleitorais.

Na ausência de Pezão, o vice-governador do Rio, Francisco Dornelles (PTB) deve assumir.

Compartilhe a sua opinião

Amanda Gushiken
Amanda Sayuri Gushiken escreve sobre finanças e negócios para o portal Suno Notícias. Antes, trabalhou selecionando notícias da imprensa para clientes do mercado financeiro. Também desenvolveu pesquisa acadêmica pela Universidade Anhembi Morumbi na área de Teorias da Comunicação e é fotógrafa nas horas vagas.