PetroRio compra 80% do campo TBMT e embarcação por R$ 140 milhões

PetroRio compra 80% do campo TBMT e embarcação por R$ 140 milhões
PetroRio (PRIO3) tem lucro líquido de R$ 128,3 milhões no 1T20

A PetroRio (PRIO3) informou, na última segunda-feira (4), compra de 80% do Campo de Tubarão Martelo (TBMT) e da embarcação OSX-3, plataforma  de óleo e gás, por R$ 140 milhões.

De acordo com o fato relevante da PetroRio, as aquisições permitem uma integração entre os campos de Polvo, já operado por ela, e TBMT, ambos na Bacia de Campos (RJ).

Os custos operacionais combinados dos dois polos ultrapassam US$ 200 (R$ 849,76) milhões por ano. Com as sinergias previstas, estima-se que esses custos sejam reduzidos a menos de US$ 80 milhões por ano. Além disso, o lifting cost (custo de extração) poderá ser reduzido a menos que US$ 16 por barril.

“A redução dos custos absolutos do novo polo permitirá que mais óleo seja recuperado nos reservatórios, durante um maior período. A PetroRio estima que a vida econômica de ambos os ativos poderá ser estendida até aproximadamente 2035, representando uma extensão de mais de 10 anos e um incremento de 40 milhões de barris frente à atual reserva do campo de Polvo”, informou o documento.

Atualmente, o campo de TBMT produz cerca de 5.800 barris/dia, no entanto, segundo a companhia, esse valor pode alcançar até 10 mil barris/dia, com a conclusão da campanha de revitalização do campo.

Já a plataforma tem capacidade de processamento de 100 mil barris de óleo por dia e armazenagem de 1,3 milhão de barris.

A PetroRio especifica em seu documento qual foi a fonte de recursos e financiamentos.

“A aquisição da embarcação teve contribuição da Prisma Capital, que atuou como financial and businesses advisor durante todo o processo, o que incluiu o financiamento de US$ 100 milhões para o projeto”.

Confira Também: PetroRio compra 30% do Campo de Frade por US$ 100 mi

As operações dependem de aprovação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE) e da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). Dessa forma, após a conclusão, a PetroRio ficará com 95% da participação acionária do TBMT e a Dommo Energia (antiga OGX), atual operadora, com os 5% restantes.

Poliana Santos

Compartilhe sua opinião