Economia

Petróleo: Produção mundial pode cair 5% por conta de ataques a Aramco

0

As unidades atingidas pelo ataque de huthis a instalações petroleiras sauditas representam uma baixa de aproximadamente 5 milhões de barris de petróleo por dia (BPD). Sendo assim, isso significa 5% da produção mundial de petróleo bruto.

Os campos atingidos também são patrimônio da Saudi Aramco, gigante petroleira. As informações são de fontes que foram entrevistadas pela “Dow Jones Newswires”.

O governo norte-americano acredita que o Irã é o país responsável por ter comandado o ato. Um dos territórios que mais produzem petróleo na Arábia Saudita foi atingido pelo ataque. Hijra Khurais é um campo que produz aproximadamente 1,5 milhão de barris por dia.

Além de Hijra, a maior instituição de beneficiamento de petróleo do planeta, Abqaiq, também foi atingida pelos ataques. A instalação da Abqaiq processa 7 milhões de barris de petróleo por dia. Isso equivale a 8% do total de barris do mundo.

A Saudi Aramco é a empresa mais lucrativa do mundo. O fato ocorrido no último sábado pode mexer com o mercado a ponto de investidores repensarem sobre as ações da companhia, que irá entrar em um processo de abertura de capital até dezembro deste ano.

IPO da Saudi Aramco

A companhia petrolífera estatal da Arábia Saudita, Saudi Aramco, contratou nove bancos para realizar sua oferta pública inicial de ações (IPO). Especialistas e fontes próximas a operação estimam que essa possa ser a maior oferta inicial de ações da história.

De acordo com as fontes, a Saudi Aramco irá contar com os seguintes bancos em seu IPO:

  • JPMorgan;
  • Morgan Stanley;
  • National Commercial Bank (Saudita);
  • Bank of America Merril Lynch;
  • Goldman Sachs;
  • Credit Suisse;
  • Citi;
  • HSBC;
  • Samba.

Bancos dos EUA, Europa e Ásia, fizeram diversas apresentações no início do mês na sede da petroleira Aramco, segundo informações da “Bloomberg”.

Na última terça-feira (10), o CEO Amin Nasser falou que a abertura de capital (IPO) da maior petrolífera do mundo, Saudi Aramco, seria “muito em breve”.

Veja também: Arábia Saudita corta pela metade produção de petróleo após incêndios

“O que sempre dissemos é que a Saudi Aramco está preparada para entrar em bolsa assim que os acionistas tomarem essa decisão, e, como ouviram, isto deve ocorrer muito em breve, por isso estamos preparados”, disse Nasser.

Além disso, o CEO informou que a primeira entrada na bolsa deverá ser local. “Sempre dissemos que estamos preparados para qualquer que seja a decisão, a primeira entrada em bolsa deve ser local, mas também estamos preparados para entrar em outras jurisdições. Estamos preparados para entrar em bolsa onde quer que o acionista decida”, afirmou Nasser.

As maiores bolsas de valores do mundo reiniciaram as disputas para sediar a maior oferta inicial de ações da gigante do petróleo, Saudi Aramco.

Compartilhe a sua opinião

Juliano Passaro
Juliano Passaro escreve sobre política, economia e negócios para o portal da Suno Research. Antes da Suno, trabalhou no Portal da Band. É formado em jornalismo pela Universidade Presbiteriana Mackenzie.