Petrobras (PETR4) reitera compromisso em arrendamento de terminal de regaseificação

Petrobras (PETR4) reitera compromisso em arrendamento de terminal de regaseificação
Petrobras (PETR4) 

A Petrobras (PETR4) declarou, na noite da última terça-feira (29), que, em continuidade ao comunicado divulgado referente ao arrendamento do Terminal de Regaseificação de GNL na Bahia (TR-BA), está compromissada na renúncia à totalidade das capacidades de entrada dos pontos de recebimento de São Sebastião do Passé – BA, e de São Francisco do Conde – BA. As informações foram reveladas por meio de um comunicado ao mercado.

lead suno imagem ilustrativa

Receba as principais notícias do mercado diariamente.

Receba Grátis conteúdo exclusivo sobre Poupança, Ações, Economia e muito mais!

Parabéns! Cadastro feito com sucesso.

Ops! Algo deu errado. Tente novamente.

lead suno background

Segundo a Petrobras, a alienação dos pontos de recebimento acontecerão durante o período do arrendamento do terminal, nos termos da regulamentação aplicável, em instrumento a ser indicado pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). O processo também está sujeito à trâmites internos de aprovação da própria estatal.

O TR-BA é um píer do tipo ilha com todas as facilidades necessárias para atracação e amarração de um navio Floating Storage and Regaseification Unit (FSRU) diretamente ao píer e de um navio supridor contrabordo do FSRU.

Suno One: acesse gratuitamente eBooks, Minicursos, Artigos e Video Aulas sobre investimentos com um único cadastro. Clique para saber mais!

A transferência de GNL é realizada diretamente entre o navio e o supridor na configuração side by side. Segundo o comunicado da petroleira, a vazão máxima de regaseificação do terminal é de 20 milhões de metros cúbicos. O FSRU, no entanto, não faz parte do processo de arrendamento do terminal.

O gasoduto integrante do TR-BA possui 45 quilômetros de extensão e 28 polegadas de diâmetro, interligando o terminal a dois pontos de entrega, que são justamente os pontos compromissados de renúncia pela Petrobras.

Petrobras inicia fase não-vinculante para venda do Polo Potiguar

A Petrobras informou, na última segunda-feira, que deu início à fase não-vinculante do processo de venda da totalidade de sua participação no Polo Potiguar, que contempla 26 concessões de campos de produção terrestres e de águas rasas no Rio Grande do Norte.

“Os potenciais compradores habilitados para essa fase receberão instruções sobre o processo de desinvestimento, incluindo as orientações para elaboração e envio das propostas não-vinculantes, além de acesso a um data room virtual contendo informações adicionais sobre o polo”, comunicou a companhia, em nota.

O Polo Potiguar registrou uma produção média de cerca de 3,2 mil barris por dia (bpd) de petróleo e 108 mil metros cúbicos diários de gás natural entre os meses de janeiro e agosto deste ano, conforme informou a companhia estatal. Além das concessões e suas instalações, as venda inclui a refinaria Clara Camarão (RPCC), baseada no município potiguar de Guamaré, cuja capacidade instalada para o processamento é de 39.600 bpd, informou a Petrobras.

Jader Lazarini

Compartilhe sua opinião