Petrobras (PETR4) lançará R$ 950 mi no balanço por pagamento ao Petros

Petrobras (PETR4) lançará R$ 950 mi no balanço por pagamento ao Petros
Petrobras (PETR4) lançará R$ 950 mi no balanço por pagamento ao Petros

A Petrobras (PETR4) comunicou nesta quarta-feira (29) a aprovação do lançamento de R$ 950 milhões em seu balanço do segundo trimestre deste ano.

A decisão foi aprovada pelo Conselho de Administração da Petrobras e ocorre para contemplar um acordo de pagamento de pagamento à Fundação Petrobras de Seguridade Social (Petros), fundo de pensão de funcionários da companhia, pelo fim de litígio arbitral relacionado à Sete Brasil.

Conforme fato relevante divulgado nesta quarta-feira, o acordo tem o intuito de obter ressarcimento sobre alegados danos materiais na empresa de sondas Sete Brasil.

Suno One: o primeiro passo para alcançar a sua independência financeira. Acesse agora, é gratuito!

“O acordo extingue o litígio sem reconhecimento de culpa ou responsabilidade por ambas as partes e não afeta outras ações judiciais ou arbitragens envolvendo as Partes, bem como outros litígios envolvendo o investimento na Sete Brasil”, informou a Petrobras.

A companhia estatal ainda comunicou que permanece em defesa de seus interesses nos processos em curso e  que a data de realização do pagamento ao fundo de pensão será divulgada em data oportuna.

Petrobras produz nova gasolina, que será obrigatória em 2022

Além disso, a petroleira informou nesta quarta-feira que já produz em suas refinarias a gasolina com octanagem RON 93, que passa a ser obrigatória a partir de janeiro de 2022 em todo o Brasil, segundo as novas regras da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

A Resolução 807/20, da ANP, entrará em vigor nesta segunda-feira (3) e estabelece uma octanagem mínima de 92 pela metodologia RON (Research Octane Number), a mesma já existente na Europa. A norma ainda define a densidade mínima de 715 kg/m3.

Saiba mais: Justiça condena Petrobras (PETR4) a ressarcir aposentados da Petros

Para a Petrobras, há a possibilidade de redução de 5% no consumo de gasolina por quilômetro rodado. De acordo com a companhia a medida também deve “dificultar fraudes na sua formulação, combate ao uso de solventes e naftas de baixa qualidade na adulteração do produto comercializado ao consumidor.”

Arthur Guimarães

Compartilhe sua opinião