Petrobras (PETR4) finaliza oferta de recompra de títulos

Petrobras (PETR4) finaliza oferta de recompra de títulos
A Petrobras (PETR3; PETR4) iniciou a fase vinculante referente à venda de sua subsidiária integral Petrobras Biocombustível (PBIO).

A Petrobras (PETR4) informou, na manhã desta terça-feira (22), que concluiu a oferta de recompra de títulos globais efetuada pela sua subsidiária integral Petrobras Global B.V. (PGF).

lead suno imagem ilustrativa

Receba as principais notícias do mercado diariamente.

Receba Grátis conteúdo exclusivo sobre Poupança, Ações, Economia e muito mais!

Parabéns! cadastro feitocom sucesso.

lead suno background

De acordo com a Petrobras, o volume principal validamente entregue pelos investidores, desconsiderando juros capitalizados e não pagos, foi de cerca de US$ 3,502 bilhões (aproximadamente R$ 18,962 bilhões) equivalente. O câmbio considerado foi de US$ 1,1828 por euro e US$ 1,2975 por libra.

Sendo assim, o montante total pago aos investidores dos títulos foi de aproximadamente US$ 3,975 bilhões, considerando os preços ofertados pela estatal e excluindo os juros capitalizados até a data de liquidação.

Suno One: acesse gratuitamente eBooks, Minicursos, Artigos e Video Aulas sobre investimentos com um único cadastro. Clique para saber mais!

Como o montante total ofertado pelos investidores na oferta de recompra ultrapassou o limite de US$ 4 bilhões previamente estabelecido, o volume ofertado para alguns dos títulos não foi acatado, em linha com os termos da oferta, de forma que o limite de US$ 4 bilhões fosse atendido.

Petrobras confirma disputa por refinaria no PR

A Petrobras disse, na última segunda-feira (21), que a Ultrapar, dona do Ipiranga, um consórcio liderado pela Raízen e a China Petroleum & Chemical Corporation (Sinopec) participam da etapa vinculante para a compra da Refinaria Presidente Getúlio Vargas (Repar). A informação havia sido antecipada pelo jornal “Valor Econômico”.

As companhias estão atentas aos desdobramentos do julgamento do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre o pedido de suspensão da venda das refinarias da estatal. O processo do julgamento sobre a venda das refinarias da Petrobras foi iniciado na última sexta-feira (18), com o relator, ministro Edson Fachin, dando um voto contrário à petroleira.

Em junho de 2019, o plenário da Corte estipulou que as privatizações de “empresas-mãe” (controladoras e holdings) só seriam realizadas após deliberação do Congresso Nacional, mas o entendimento não envolve subsidiárias. A estatal, por sua vez, defende sua posição dizendo que a venda de suas refinarias está amparada na imposição do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

Em comunicado, a estatal informa que recebeu duas propostas com valores próximos e que fará uma nova rodada de propostas vinculantes, baseada em sua Sistemática de Desinvestimentos.

Segundo a Petrobras, esta sistemática prevê somente a divulgação ao mercado do processo: teaser, início da fase não vinculante, início da fase vinculante, celebração de acordo de exclusividade (quando aplicável), signing e closing. A companhia pontua que as etapas posteriores serão divulgadas ao mercado de acordo com tal sistemática.

Jader Lazarini

Compartilhe sua opinião