Petrobras (PETR4) inicia fase não vinculante de venda em 5 termelétricas

Petrobras (PETR4) inicia fase não vinculante de venda em 5 termelétricas
A companhia estatal deu início a fase não vinculante de venda da subsidiária Petrobras Biocombustível (PBio)

A Petrobras (PETR4) informou nesta segunda-feira (6) que iniciou a fase não vinculante do processo de venda de suas participações em cinco termelétricas.

O processo contemplará as unidades de Brasympe Energia, Energética Suape II, Termoelétrica Potiguar, Companhia Energética Manauara (CEM) e Brentech Energia, segundo a Petrobras.

A companhia estatal possui participações de:

  • 20% na Brasympe;
  • 20% na Suape II;
  • 20% na Termólétrica Potiguar;
  • 30% na Brentech;
  • 40% na CEM.

Suno One: acesse gratuitamente eBooks, Minicursos, Artigos e Video Aulas sobre investimentos com um único cadastro. Clique para saber mais!

Dessa forma, nessa fase, os potenciais investidores habilitados irão poder receber instruções sobre o processo de desinvestimento. Isso inclui orientações para a elaboração e envio de propostas não vinculantes.

Saipem fecha fornecimento de US$ 325 milhões com a Petrobras

A petroleira italiana Saipem firmou um contrato junto à Petrobras para fornecer um sistema submarino de “riser” rígido para projeto no campo de Búzios, onde fica localizado o pré-sal da Bacia de Santos (RJ), informou a brasileira nesta segunda-feira.

O riser é uma tubulação que conduz o petróleo ou o gás natural do poço até a plataforma. No que tange ao campo de Búzios, o sistema será instalado em lâmina d’água de 1.537 a 2.190 metros, segundo informações da Saipem.

Saiba mais: Petrobras (PETR4) vê acordo com Odebrecht sobre Braskem em 6 meses

De acordo com a Saipem, o sistema geral de produção de Búzios-5 prevê a interconexão de 15 poços à plataforma em duas fases.

“Búzios é uma das maiores reservas de petróleo no mundo em águas profundas, e é significativo que a Saipem contribua para um projeto tão relevante para o Brasil, um país onde temos uma presença consolidada e um histórico de projetos bem-sucedidos”, afirmou o COO da divisão offshore da empresa, Francesco Racheli.

O grupo está presente em mais de 70 países e possui, atualmente, mais de 35 mil funcionários. A companhia italiana atua como fornecedora do segmento de energia com experiência em grandes projetos.

Conforme informações divulgadas pela Petrobras, o valor do contrato chega a aproximadamente US$ 325 milhões (cerca de R$ 1,74 bilhão).

Arthur Guimarães

Compartilhe sua opinião