Negócios

Petrobras demitirá 396 funcionários de fábrica que será desativada no PR

0

A Petrobras (PETR3;PETR4) decidiu que irá desativar a fábrica de fertilizantes de sua subsidiária Araucária Nitrogenados (ANSA), localizada no Paraná. O processo de hibernação da unidade irá resultar na demissão de 396 colaboradores. As informações foram divulgadas pela estatal por meio de um fato relevante nesta terça-feira (14).

A decisão foi tomada depois da Petrobras tentar vender o ativo e não conseguir. A unidade tem apresentado prejuízos desde que foi adquirida, no ano de 2013.

A fábrica de fertilizantes gerou um prejuízo de cerca de R$ 250 milhões entre janeiro e setembro do ano passado. As previsões para este ano estimavam que o resultado poderia superar R$ 400 milhões negativos.

“No contexto atual de mercado, a matéria-prima utilizada na fábrica (resíduo asfáltico) está mais cara do que seus produtos finais (amônia e ureia)”, informou a empresa.

O processo de desinvestimento da unidade foi iniciado pela estatal petroleira há mais de dois anos. Entretanto, as negociações com a companhia russa Acron Group foram encerradas sem a conclusão da venda.

“A fábrica permanecerá hibernada em condições que garantam total segurança operacional e ambiental, além da integridade dos equipamentos”, disse a empresa.

A Petrobras quer sair totalmente do negócio de fertilizantes e focar apenas na exploração e produção de petróleo e gás em águas profundas e ultraprofundas.

Petrobras reduzirá preço da gasolina e do diesel

A estatal petroleira informou, na última segunda-feira (13), que reduziria o preço da gasolina e do diesel nas refinarias a partir desta terça-feira (14). A queda no valor dos combustíveis foi de 3%.

A Petrobras informou que um dos fatores que influenciou a diminuição dos preços foi a queda da cotação do petróleo no mercado internacional. A redução ocorreu após o recuo das tensões entre os Estados Unidos e o Irã.

Veja também: Dona do Google atinge US$ 1 trilhão em valor de mercado

De acordo com fontes do jornal “O Estado de S. Paulo”, o litro do diesel S500 ficou, em média, R$ 0,061 mais barato. Já o litro do diesel S10 foi reduzido em R$ 0,0808.

O valor da gasolina não sofria um reajuste desde 1º de dezembro. Além disso, o preço do diesel não passa por alterações desde o dia 21 de dezembro de 2019.

“Os combustíveis de petróleo são commodities e têm seus preços atrelados aos mercados internacionais, cujas cotações variam diariamente, para cima e para baixo. Por isso, a variação dos preços nas refinarias e terminais é importante para que possamos competir de forma eficiente no mercado brasileiro“, informou a Petrobras.

Telegram Suno

Compartilhe a sua opinião

Juliano Passaro
Juliano Passaro escreve sobre política, economia e negócios para o portal da Suno Research. Antes da Suno, trabalhou no Portal da Band. É formado em jornalismo pela Universidade Presbiteriana Mackenzie.