Internacional

Partido socialista vence na Espanha mas precisa de apoio para governar

0

No último domingo (28) os espanhóis foram às urnas e definiram o Parlamento do país. O Partido Socialista Operário Espanha (PSOE) ganhou, atingindo o maior número, entretanto, será necessário ligações partidárias para governar.

Ao todo, o PSOE teve cerca de 99,4% dos votos, somando a 123 deputados. Já o partido de ultraesquerda, Podemos, teve 42 deputados. A soma das duas siglas alcança um valor de 165. Na Espanha, o total são de 350 cadeiras.

Os resultados são históricos, a sigla de direita, Partido Popular (PP), teve sua bancada encolhida em mais da metade. Já a legenda de ultradireita, Vox, não estava no Congresso de Deputados desde 1979. Além disso, cerca de 76% das pessoas compareceram às urnas, sendo o maior número desde 1996.

Saiba Mais: Espanha e outros sete países reconhecem Guaidó como presidente

Ademais, essa vitória do PSOE atinge a melhor marca desde 2008. O líder socialista e primeiro-ministro da Espanha, Pedro Sánchez, fez um discurso na vitória.”Mandamos um recado à Europa e ao resto do mundo. É possível derrotar o autoritarismo e a ‘involução.’ Não vamos estabelecer cordão sanitário como eles [do partido Cidadãos],” afirma o primeiro-ministro.

Atual bancada do parlamento

Ao todo, são 350 assentos, para atingir a maioria, que não foi o caso do  partido vencedor, é necessário ocupar 176 cadeiras. Os partidos que ingressaram no Congresso dos Deputados foram:

  1. PSOE : 123 deputados
  2. PP: 66 deputados
  3. Cidadãos: 57 deputados
  4. Podemos: 42 deputados
  5. Vox: 24 deputados
  6. Outros partidos: 38 deputados

Ou seja, o partido PSOE precisará de apoio de partidos como o Podemos e outras legendas de esquerda para conseguir governar plenamente. É possível também, que o partido se alinhe com o Unidas. O conjunto entre esses três partidos é um total de 165 deputados contra 350.

Uma das muitas decisões que serão discutidas no Congresso será o separatismo catalão. Sanchéz, se mostra flexível em relação a Catalunha.

Centro e Direita

O partido Cidadão foi mais incisivo em críticas ao PSOE do que o partido de direita PP. Atualmente, a legenda passa de 32 cadeiras a 57. O líder do partido Albert Rivera se posicionou como oposição ao governo de Sánchez.

“Hoje, o Cidadãos se ergue como futuro e esperança na Espanha. Somos o refúgio da liberdade,” afirmou Rivera em seu discurso pós eleição.

Já o partido de direita o PP, oponente histórico do PSOE, terá apenas 66 assentos contra 134 que ocupam atualmente. Além de ser o pior desempenho, o líder do partido, Pablo Casado, que substituiu Mariano Rajoy, traz inseguranças quanto ao seu poder de liderança.

“Não vou me furtar de responsabilidade. O resultado foi muito ruim. Nosso desempenho vem piorando há várias eleições. Vamos começar a trabalhar agora,” afirma Casado.

“O eleitorado de centro-direita deve perceber que um voto fragmentado beneficia apenas um governo de Pedro Sánchez,” concluiu Pablo.

Catalunha

A maior representante do movimento secessionista será a Esquerda Republicana. Seu líder, Oriol Junqueras, está preso desde outubro de 2017, por organização ilegal de referendo sobre a independência.

Saiba Mais: Espanha: Parlamento rejeita lei orçamentária e governo pode cair

O grupo teve um avanço de 9 cadeiras para 15. Entre os deputados, está Maria Dantas, uma sergipana, ela será a primeira brasileira a ocupar uma vaga no Congresso da Espanha.

Compartilhe a sua opinião

Poliana Santos
Poliana Santos escreve sobre economia e política para o portal Suno Notícias. Antes, colaborou na Rádio Gazeta AM, onde era responsável pela produção do programa Bom Dia Gazeta. É estudante da Faculdade Cásper Líbero.