Panvel (PNVL3), controlada da Dimed, fará oferta de ações de até R$ 1,2 bi

Panvel (PNVL3), controlada da Dimed, fará oferta de ações de até R$ 1,2 bi
Panvel (divulgação)

A Panvel (PNVL3), rede de farmácias controlada pela Dimed, realizará uma oferta de ações que pode levantar até R$ 1,2 bilhão. O comunicado da companhia foi divulgado na última sexta-feira (10).

O conselho de administração da Dimed autorizou a oferta pública de distribuição primária e secundária com esforços restritos de colocação de ações ordinárias de emissão da companhia, todas nominativas, escriturais e sem valor nominal.

A oferta consistirá na distribuição pública primária de, inicialmente, 16.000.000 de novas ações a serem emitidas pela empresa e secundária de, inicialmente, 16.057.112 de ações de titularidade do fundo Kinea Private Equity, da Fundação Petrobras de Seguridade Social Petros (“Petros”) e de outros acionistas pessoas físicas.

Suno One: acesse gratuitamente eBooks, Minicursos, Artigos e Video Aulas sobre investimentos com um único cadastro. Clique para saber mais!

Somente investidores profissionais e agentes de mercado poderão participar da oferta como compradores. “A oferta é inadequada a investidores que não sejam investidores institucionais, com exceção dos acionistas, no âmbito da Oferta Prioritária”, destacou a empresa. Os bancos coordenadores da oferta serão: Bradesco BBI (líder), BTG Pactual e Itaú BBA.

“A realização do aumento do capital e a exclusão do direito de preferência dos acionistas da companhia no contexto da oferta dependem da aprovação da reforma do estatuto social da Companhia para prever o limite de capital autorizado; e a prerrogativa de exclusão do direito de preferência dos acionistas, nos termos do artigo 172, inciso I, da Lei das Sociedades por Ações, em assembleia geral extraordinária de acionistas, a ser realizada em 17 de julho de 2020”, informou a Dimed.

A Dimed informou que pretende usar 100% dos recursos líquidos da oferta da Panvel em investimentos em novas lojas, recursos de tecnologia da informação e investimento na infraestrutura de logística.

Juliano Passaro

Compartilhe sua opinião