PagSeguro lançará plataforma de investimentos, diz jornal

PagSeguro lançará plataforma de investimentos, diz jornal
PagSeguro (divulgação)

A PagSeguro deverá anunciar sua entrada no mercado de plataformas de investimentos, em breve. A empresa, de acordo com informações do “Brazil Journal”, estaria criando uma equipe para lançar um negócio que bateria de frente com corretoras como: XP Inc, Genial e Guide. A publicação foi feita na manhã desta segunda-feira (13).

Na semana do dia 6 de julho, ainda segundo o jornal, a PagSeguro contratou o líder de produtos financeiros da Ágora. De acordo com informações de Geraldo Samor, a empresa também está com um grupo de headhunters que estão tratando assuntos como renda variável e derivativos com especialistas desses segmentos.

A publicação diz que uma das primeiras contratações da PagSeguro para este projeto aconteceu há cerca de um ano. A empresa nomeou Ana Carolina Camargo, que estava na Pi Investimentos, como “head of investments and exchange”. Camargo tem ido atrás de profissionais de outras empresa do ramo de plataformas de investimento para tentar levar para a PagSeguro.

Suno One: acesse gratuitamente eBooks, Minicursos, Artigos e Video Aulas sobre investimentos com um único cadastro. Clique para saber mais!

Com a PagSeguro entrando neste mercado, novos clientes deverão ser atraídos para a empresa. Além disso, o banco digital da companhia, que foi lançado há cerca de um ano, terá novas ferramentas e passará a ser mais completo.


Atualmente, a parte de banco da PagSeguro oferece poucos serviços como: contas de poupança, cartões de crédito e débito. O alcance do PagBank também não vai muito além de seus clientes que utilizam a maquininha da PagSeguro e representa, atualmente, apenas 10% da receita da empresa.

O jornal também destaca que a PagSeguro deverá investir fortemente na área de marketing para atrair novos clientes, após a entrada no ramo de plataforma de investimentos.

Uma fonte próxima ao assunto disse ao jornal que a PagSeguro necessitará de ferramentas além das citadas. Ou seja, a empresa terá que investir em sua infraestrutura. Isso porque, segundo a fonte, a empresa não possui área de research, market-making e serviços de assessoria, que são processos que geram grandes despesas.

Juliano Passaro

Compartilhe sua opinião