Orçamento: novos bloqueios podem ocorrer se MP de fraudes não for aprovada

Orçamento: novos bloqueios podem ocorrer se MP de fraudes não for aprovada
Orçamento

O Orçamento da União pode sofrer novos bloqueios caso a Medida Provisória de fraudes da Previdência não seja aprovada. Isso porque a MP está no Senado e caso não seja votada e aprovada ainda nesta segunda-feira (3), perde a validade. Assim, o governo perderia uma fonte de receitas, o que apertaria ainda mais as contas. As informações são do blog do Valdo Cruz, do G1.

A medida provisória 871 combate fraudes na concessão de benefícios da Previdência. Assim, com as novas regras, o governo previa economizar no Orçamento cerca de R$ 10 bilhões em um ano e R$ 20 bilhões no segundo ano.

De acordo com a publicação, a própria equipe econômica confirmou a possibilidade de um novo contingenciamento. Porém, afirmou ainda que o anúncio da medida não é uma ameça e sim uma visão da realidade.

Saiba Mais: Governo deve anunciar novos bloqueios no Orçamento na próxima quarta

Contas públicas

Caso a medida provisória não seja aprovada, a situação do Orçamento, que já não é tão boa, ficaria ainda pior. Atualmente, a meta fiscal determinada pelo governo prevê um déficit de R$ 139 bilhões. Apesar da previsão de rombo nas contas já ser grande, o setor público busca medidas para ajudar a cumprir a previsão.

Dessa forma, a reforma da Previdência é a principal ação e urgência do governo para a busca do equilíbrio fiscal. Isso porque a previsão feita pelo ministro Paulo Guedes é de uma economia de R$ 1,2 trilhão em dez anos.

Saiba Mais: Boletim Focus: previsão de crescimento do PIB é reduzida para 1,13%

Entretanto, essa estimativa corre riscos de não ocorrer. Isso porque o Congresso já sinalizou que fará alterações que vão comprometer a economia da PEC. Assim, os parlamentares já estimam uma reforma com apenas R$ 800 bilhões de economia em dez anos.

Saiba Mais: IPC-S desacelera e registra 0,22% em maio, aponta FGV

Além da reforma da Previdência, o governo estrutura contingenciamentos no Orçamento para buscar o ajuste fiscal. Assim, o primeiro bloqueio anunciado pela equipe econômica foi de R$ 30 bilhões. Desse modo, a área mais afetada foi a Educação, que teve cerca de R$ 5,8 bilhões bloqueados.

Beatriz Oliveira

Compartilhe sua opinião