Oi (OIBR3): Brookfield e CPPIB estudam proposta por unidade de fibra

Oi (OIBR3): Brookfield e CPPIB estudam proposta por unidade de fibra
Nova AGC da Oi deve acontecer no dia 8 de setembro e deve ser presencial

A Brookfield Asset Management e o Canada Pension Plan Investment Board (CPPIB) estudam uma oferta pela rede de fibra ótica da Oi (OIBR3). As informações são da agência de notícias “Bloomberg”.

lead suno imagem ilustrativa

Receba as principais notícias do mercado diariamente.

Receba Grátis conteúdo exclusivo sobre Poupança, Ações, Economia e muito mais!

Parabéns! cadastro feitocom sucesso.

lead suno background

A unidade também teria atraído interesse da Highline, controlada pela Digital Colony, a qual já realizou uma oferta pela operação móvel da Oi. O BTG Pactual (BPAC11), na qualidade de representante de um de seus fundos de private equity, também realizou uma proposta por 51% da rede de fibra da Oi. A tele brasileira pretende vender até 51% de sua rede de fibra — chamada de InfraCo –, o que ajudaria em seu processo de recuperação judicial, instaurado em 2016.

O preço mínimo para que a alinação seja realizada é de R$ 11,5 bilhões, de acordo com a Oi. A companhia propôs, em junho, a segregação de seus ativos em quatro unidades, que seriam vendidas por pelo menos R$ 22,8 bilhões. A estrutura desse processo ainda necessita da aprovação dos credores em assembleia que pode acontecer já neste mês.

Suno One: acesse gratuitamente eBooks, Minicursos, Artigos e Video Aulas sobre investimentos com um único cadastro. Clique para saber mais!

A empresa, que é a maior operadora de telefonia fixa do Brasil, procura reestruturar-se e estancar a sequência de prejuízos. No acumulado de 2019, a companhia perdeu R$ 9 bilhões, enquanto apenas no primeiro trimestre deste ano foram R$ 6,28 bilhões negativos.

Quer saber mais sobre Oi? Clique aqui e receba um relatório gratuito!

Enquanto isso, a Highline disputa com a TIM, Vivo e Claro a área móvel da companhia. A norte-americana havia recebido o direito de exclusividade nas negociações, mas após a contra-proposta de R$ 16,5 bilhões das rivais da Oi pode ter desistido das negociações — o período da exclusividade expirou na última segunda-feira (3).

A Highline também fez uma oferta vinculante de R$ 1,08 bilhão pela unidade de torres da Oi, segundo um comunicado ao mercado publicado no mês passado. Atualmente, a norte-americana não possui nenhuma torre no País e deve buscar os ativos dessa infraestrutura da companhia brasileira.

Jader Lazarini

Compartilhe sua opinião