Oi recebeu R$ 33,1 mi em dividendos extraordinários da Unitel em nov/19

Oi recebeu R$ 33,1 mi em dividendos extraordinários da Unitel em nov/19
Justiça adia plano de recuperação judicial da Oi (OIBR3)

A Oi (OIBR3), que não recebia dividendos da Unitel desde 2012, embolsou em novembro R$ 33,1 milhões da empresa angolana em dividendos extraordinários. A Oi detém 25% de participação da Unitel.

A PT Ventures (subsidiária que a Oi virou dona de 25% por conta da Portugal Telecom) não recebia dividendos da Unitel por conta de um conflito com outros sócios angolanos em que gerou cerca de US$ 1 bilhão em recursos retidos. Em seu último formulário de informações trimestrais, a Oi afirmou que os dividendos extraordinários pagos em novembro foram declarados pela Unitel em uma assembleia geral de 16 de novembro de 2010.

De acordo com o jornal “Valor Econômico”, a Oi não quis comentar sobre valores e prazos para novas remessas de dividendos da Unitel.

Propostas de compra da participação da Oi na Unitel

A Oi recebeu, em junho, duas propostas para vender sua participação de 25% no capital na empresa angolana Unitel. As propostas de compra da participação na maior operadora de telefonia móvel de Angola vieram dos demais acionistas da empresa.

A venda de ativos é considerada um passos fundamental no processo de recuperação judicial da companhia. A operadora brasileira entrou com um pedido de recuperação judicial em 2016.

Saiba mais: Oi recebe duas propostas para vender ação em tele angolana Unitel

A Unitel foi adquirida graças ao suporte financeiro do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) durante o governo do Partido dos Trabalhadores (PT).

Duas propostas

Uma das propostas de venda na Unitel teria sido apresentada por Isabel dos Santos. A filha do ex-presidente de Angola, José Eduardo dos Santos, é uma das mulheres mais ricas da África, possuindo 25% da operadora telefônica angolana. A proposta de dos Santos seria de US$ 850 milhões.

A segunda oferta foi da Sonangol,  estatal petrolífera angolana, também dona de 25% da operadora. A empresa teria proposto US$ 1 bilhão à vista para a participação da Oi na telefônica.

Rafael Lara

Compartilhe sua opinião