Mourão volta a defender debate sobre nova CPMF

Mourão volta a defender debate sobre nova CPMF
Mourão volta a defender debate sobre nova CPMF

O vice-presidente da República, general Hamilton Mourão, apoiou, mais uma vez, a necessidade de uma discussão a respeito de um novo imposto sobre transações financeiras, nos moldes da antiga Contribuição Provisória Sobre Movimentações Financeiras (CPMF), apesar de indicar que ficaria a cargo do Congresso decidir sobre o assunto. A informação foi divulgada nessa quarta-feira (29) durante uma entrevista do político ao jornal ‘Diário de Pernambuco’.

Vale lembrar que o tributo nos moldes da CPMF não foi incluso na proposta da reforma tributária que foi entregue ao Congresso na semana passada, pois apesar de ser defendido pelo Ministério da Economia, não agrada muito aos parlamentares.

Durante a entrevista, Mourão ainda explicou que “essa discussão em torno do imposto sobre transações financeiras está muito ligada a uma substituição. Se você vai desonerar a folha de pagamento das empresas, que seria uma forma de abrirmos espaços para contratações, então teríamos que dar uma compensação”.

Suno One: o primeiro passo para alcançar a sua independência financeira. Acesse agora, é gratuito!

Segundo o vice-presidente, o cenário atual brasileiro conta com uma carga tributária muito alta, que é dirigida para o sustento de um “Estado extremamente obeso”. Além disso, apontou que o sistema tributário do País é “complexo e caro”, apesar de que, segundo ele, não há a possibilidade de diminuir a carga tributária atualmente.

Frente a isso, o político defende a necessidade de debater alternativas. “A discussão está em torno desse imposto, que não é nenhuma novidade, mas, como eu tenho dito, tudo passa pelo Congresso. O Congresso será o local onde essa questão será debatida”, salientou.

Guedes defende deixar discussão sobre CPMF para depois

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou na última quinta-feira (23) que o ministro da Economia, Paulo Guedes, disse para deixar as discussões da recriação da Contribuição Provisória sobre Movimentações Financeiras para depois.

Veja também: Reforma tributária: entenda as propostas e a nova ‘CPMF’

“Eu tenho minha opinião [sobre a CPMF] e o ministro disse: deixa isso para depois, vamos debater aquilo que nos une”, declarou o parlamentar em entrevista a jornalistas, após reunião com o ministro Paulo Guedes.

Laura Moutinho

Compartilhe sua opinião