Moderna dará início a fase 3 da vacina contra coronavírus em 27 de julho

Moderna dará início a fase 3 da vacina contra coronavírus em 27 de julho
Moderna recebe aporte de US$ 472 mi em corrida pela vacina

A empresa norte-americana de biotecnologia, Moderna (NASDAQ: MRNA), dará início ao teste clinico final da sua potencial vacina contra o coronavírus (covid-19) em 27 de julho. A informação foi divulgada pelo site ClinicalTrials.gov nesta terça-feira (14).

A empresa, que está trabalhando em colaboração com o Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas dos EUA, realizará a fase 3 do estudo com 30 mil participantes, que receberão uma dose de 100 microgramas da vacina candidata em 27 de julho, e outra dose 29 dias depois. A notícia levou as ações da empresa a alcançarem uma alta de 4,6% durante o pregão desta terça-feira.

A vacina da Moderna é uma das principais entre as candidatas ao tratamento do covid-19. Diferentemente das vacinas tradicionais, que injetam um vírus enfraquecido ou inativado ou um pedaço de vírus para desencadear uma resposta imune, o produto da Moderna usa o material genético chamado RNA mensageiro para fazer com que as células produzam a proteína do coronavírus. O objetivo é produzir anticorpos contra o vírus, que protejam contra doenças quando alguém é exposto ao coronavírus.

No Suno One você aprende a fazer seu dinheiro para trabalhar para você. Cadastre-se gratuitamente agora!

Em maio, a empresa realizou um estudo de sua vacina, a mRNA-1273, em 600 adultos. Em nota divulgada naquele mês, a empresa informou que 350 pessoas já haviam sido selecionadas para a fase final de testes, já  que o tratamento apresentou pelo, menos nestes testes iniciais, uma resposta imune em oito voluntários que o receberam no mês de março.

Países ao redor do mundo correm para encontrar um tratamento para o coronavírus

A Universidade de Sechenov, da Rússia, informou que os testes clínicos de uma vacina contra o novo coronavírus (Covid-19) foram concluídos. A chefe da pesquisa, Elena Smolyarchuk, em entrevista à agência russa “TASS”, afirmou que o estudo e as aplicações mostraram que a vacina é efetiva contra a doença. Segundo informações divulgadas pelo “Moscow Times”, a ideia inicial do país é distribuir o a substância já em agosto.

Saiba mais: Coronavírus: Moderna anuncia resultados ‘positivos provisórios’ de vacina

A vacina desenvolvida pelo Gamaleya Institute, entretanto, na lista da Organização Mundial da Saúde (OMS), está em “fase 1 de testes”. Com isso, ela não poderia ser distribuída já no mês que vem. Mesmo assim, Smolyarchuk salienta que a vacina desenvolvida é seguro. “A pesquisa foi concluída e mostrou que a vacina é segura. Os voluntários serão liberados nos dias 15 e 20 de julho”, disse a pesquisadora.

Daniel Guimarães

Compartilhe sua opinião