Mirae altera três ações de carteira semanal em meio a crise

Mirae altera três ações de carteira semanal em meio a crise
S&P Global reduz projeções para mercados emergentes

A Mirae Asset trocou três ações da sua carteira semanal divulgada nesta segunda-feira (30) em meio a crise causada pelo coronavírus (covid-19).

As ações da Magazine Luiza (MGLU3), Petrobras (PETR4) e WEG (WEGE3) entraram no lugar dos papéis da Copel (CPLE3), Sanepar (SAPR4) e Via Varejo (VVR3).

Segundo a Mirae, a crise pode trazer mais volatilidade ao mercado nesta semana após uma última semana de relativa tranquilidade.

“A semana promete ser novamente de grande volatilidade e estresse, mas não podemos descartar momentos e potenciais de ajuste técnico, já que a queda nas bolsas de valores foi exagerada no último mês, assumindo sinais de irracionalidade”, informou em relatório a empresa.

Bolsa em queda livre!? Aproveita as maiores oportunidades da bolsa brasileira com nosso acesso Suno Premium

Agora, além das alterações, a carteira semanal recomendada conta ainda com as as ações da AES Tiete, Fleury, Hypera, JBS, Pão de Açúcar, Petrobras, Raia Drogasil e Vale.

Mirae justifica alterações

Em relação as trocas na carteira, a Mirae informou que se mantém otimista com os papéis, mesmo em meio a crise.

O Magazine Luiza, por exemplo, se mostra forte para enfrentar a crise, de acordo com a análise da casa.

“A empresa se encontra capitalizada e em condições de fazer os investimentos necessários, para dar conta da demanda que estará aumentando”, disseram Pedro Galdi e Francisco Bresciani, analistas responsáveis pela carteira da Mirae.

Para a Petrobras, por exemplo, os analistas citam que, apesar da queda histórica dos preços do petróleo, a empresa se mantém interessante.

” Com o evento do Coronavírus e o impasse entre a Rússia e a Arábia Saudita, o preço do petróleo teve forte queda no mercado internacional. O que tende a afetar as margens da empresa e até mesmo paralise as vendas de ativos, para que ocorrerem num preço mais benéfico. Somos otimistas com a empresa para o 2Sem/20″, informaram os analistas da Mirae.

Já para a WEG, os bons resultados apresentados no último trimestre do ano passado a ajudam no enfrentamento da crise.

“Empresa capitalizada para enfrentar o evento do Coronavírus no
curto prazo r esperamos aumento de encomendas a partir do segundo semestre deste ano”, disseram os analistas da Mirae.

Vinicius Pereira

Compartilhe sua opinião