Marcopolo (POMO4): fábrica no Rio de Janeiro será fechada

Marcopolo (POMO4): fábrica no Rio de Janeiro será fechada
Marcopolo (Foto: Divulgação)

A fabricante de ônibus Marcopolo (POMO4) decidiu nesta sexta-feira (2) encerrar as atividades de sua fábrica localizada em Duque de Caxias, no Rio de Janeiro, a partir do dia 30 deste mês. De acordo com a empresa, a decisão é parte do processo de “otimização de plantas”, e as demais unidades absorverão a produção conforme os mercados se regularizarem no pós-pandemia.

lead suno imagem ilustrativa

Receba as principais notícias do mercado diariamente.

Receba Grátis conteúdo exclusivo sobre Poupança, Ações, Economia e muito mais!

Parabéns! Cadastro feito com sucesso.

Ops! Algo deu errado. Tente novamente.

lead suno background

A empresa afirmou que a decisão deve trazer maior racionalidade a seus custos de produção. “A concentração das operações brasileiras em um número menor de fábricas vem contribuindo para a redução de custos e incremento da eficiência”, explicou a Marcopolo em fato relevante divulgado nesta sexta. Não há detalhes sobre a destinação do quadro de funcionários da empresa.

A unidade da Marcopolo em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, produz os modelos Torino, Viale BRT e Viale BRS, todos destinados à mobilidade urbana. Outras plantas da companhia, no entanto, também produzem os mesmos modelos.

Suno One: acesse gratuitamente eBooks, Minicursos, Artigos e Video Aulas sobre investimentos com um único cadastro. Clique para saber mais!

A fábrica existe desde 1955, mas passou a fazer parte do parque da fabricante em 1999. Em 2001, a Marcopolo adquiriu 100% de seu capital, e tornou-se sua única proprietária.

Com o fechamento da unidade fluminense, a fabricante de ônibus passa a contar com três fábricas no País, sendo duas delas em Caxias do Sul, no Rio Grande do Sul, cidade onde está a sede da empresa, e uma em São Mateus, no Espírito Santo. No exterior, a empresa tem 11 fábricas.

Marcopolo registra queda de 93,7% no lucro do 2T20

A Marcopolo reportou um lucro líquido de R$ 5,4 milhões referente ao exercício no segundo trimestre de 2020, equivalente a uma queda de 93,7% em comparação aos R$ 86,3 milhões registrados no mesmo período do ano anterior.

“Todos os segmentos de mercado foram afetados pela retração de demanda, causada pelas restrições no transporte de pessoas, afetando os clientes da companhia no Brasil e no exterior”, ressaltou a Marcopolo, no relatório.

Com isso, a companhia especializada na fabricação de componentes e carrocerias de ônibus apresentou uma receita líquida de R$ 798,5 milhões entre os meses de abril e junho, um recuo de 30,1% em relação mesmo intervalo de 2019. A receita com vendas no Brasil, registrou um resultado ainda pior, de baixa de 43%, para R$ 356,3 milhões; enquanto a receita no exterior encolheu 30%, para R$ 194,5 milhões.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês), por sua vez, teve uma retração de 61,3%, para R$ 40,9 milhões. No mesmo sentido, a margem Ebitda caiu de 9,2% para 5,1%.

As restrições de mobilidade e de isolamento social para conter a disseminação do novo coronavírus também tiveram impacto na produção da Marcopolo no segundo trimestre, que registrou uma queda de 45,5% no Brasil e de 47,1% no exterior.

Com informações do Estadão Conteúdo.

Poliana Santos

Compartilhe sua opinião