Magazine Luiza fará mudanças em quadro diretivo da Netshoes, diz jornal

Magazine Luiza fará mudanças em quadro diretivo da Netshoes, diz jornal
As ações do Magazine Luiza (MGLU3) abriram em queda nesta quinta. Por volta das 10h15, os papéis da varejista recuavam 1,25%.

O Magazine Luiza (MGLU3) irá fazer duas mudanças no quadro diretivo da Netshoes, companhia adquirida há cerca de um ano pela varejista. Entre as principais mudanças está a do CEO e fundador da plataforma de artigos esportivos online, Marcio Kumruian, que deixará a função e será membro do colegiado da Magalu. As informações são do jornal “Valor Econômico” e foram publicadas na manhã desta segunda-feira (23).

A irmã de Marcio, Graciela Kumruian, que é diretora de operações da Netshoes, será membro da diretoria de clientes do Magazine Luiza. Esta função não existia até então, de acordo com informações do jornal. A mudança foi feita depois de notarem um progresso no plano de integração e aumento das vendas. Este fator levou a Netshoes a conseguir um equilíbrio entre receita e despesa, um pouco depois do início da pandemia no Brasil, chamado “break even”.

As funções que eram de Marcio Kumruian deverão ficar sob responsabilidade de Eduardo Galanternick, diretor-executivo de comércio eletrônico e um dos braços direitos, na operação digital, de Frederico Trajano (CEO da companhia). A atribuição de CEO da Netshoes deverá ser extinta. A transição irá ocorrer durante um período de três meses, até que Galanternick assuma as novas funções.

Suno One: acesse gratuitamente eBooks, Minicursos, Artigos e Video Aulas sobre investimentos com um único cadastro. Clique para saber mais!

O Magazine Luiza também está se preparando para fazer um “escritório de integração” de novos negócios. A operação será feita com recursos do aumento de capital de R$ 4,7 bilhões realizado ao final do ano passado.

Aquisição da Netshoes pelo Magazine Luiza

Em junho de 2019, a varejista Magazine Luiza confirmou a compra da loja eletrônica de artigos esportivos, Netshoes. O acordo foi fechado para obtenção de 100% das ações da gigante do comércio eletrônico. Vale ressaltar que a Magalu teve um grande entrave durante a negociação, pois a Centauro também estava forte na disputa. A aquisição foi realizada, ao final, por cerca de US$ 115 milhões.

Juliano Passaro

Compartilhe sua opinião