Negócios

Magazine Luiza tem falha no sistema e libera cupons de R$ 1 mil

0

A Magazine Luiza (MGLU3) liberou cupons no valor de R$ 1 mil por volta das 4h (horário de Brasília) desta quinta-feira (11), no aplicativo para smartphones da varejista. O disparo dos cupons deveu-se a uma falha no sistema que permitiu aos usuários compras de quaisquer produtos.

Inclusive de itens de baixo valor comercializados pela Magazine Luiza. Geralmente, cupons com valores mais altos nos sites e aplicativos relacionam-se a mercadorias com preços mais altos.

A falha ocorreu no sistema do valor do “vale compras” do site da empresa, conforme o “Valor Econômico”. Assim que o problema foi identificado, o disparo dos cupons foi interrompido.

A Magazine Luiza comprometeu-se a honrar com as compras e entregas dos clientes que tiveram acesso aos cupons liberados. Em adendo, a companhia afirmou que poderá repetir a ação no futuro, em campanha de marketing.

“Galera, vocês viram que essa madrugada eu buguei, né? Quem nunca?”, afirmou a empresa em sua conta do Twitter.

“Gente, quem aproveitou o #BugDaLu e se deu bem, com desconto de 1.000 reais em qualquer produto do SuperApp do MagaLu, manda foto aqui pra mim assim que ele chegar na sua casa!”, completou.

Magazine Luiza quer inovar

Frederico Trajano, presidente da Magazine Luiza, afirmou em entrevista à “Exame” no último dia 4 que o foco da empresa é aumentar a produtividade, como foi anunciado aos investidores.

Segundo Trajano, o momento da marca é de inovação. “Chegou a hora de radicalizar nosso crescimento. Digitalizamos o Magalu e queremos digitalizar o Brasil, levando a muitos o que é privilégio de poucos”, afirmou.

O presidente-executivo deseja investir em superaplicativos, que disponibilizam vários produtos e serviços na palma da mão do cliente. A inspiração vem da China. O aplicativo atual do Magazine Luiza tem 33 milhões de downloads.

Compartilhe a sua opinião

Amanda Gushiken
Amanda Sayuri Gushiken escreve sobre finanças e negócios para o portal Suno Notícias. Antes, trabalhou selecionando notícias da imprensa para clientes do mercado financeiro. Também desenvolveu pesquisa acadêmica pela Universidade Anhembi Morumbi na área de Teorias da Comunicação e é fotógrafa nas horas vagas.