Magazine Luiza estuda abrir lojas físicas da Netshoes no país

Magazine Luiza estuda abrir lojas físicas da Netshoes no país
Netshoes pode ter loja física em breve.

Frederico Trajano, diretor da Magazine Luiza, afirmou em entrevista, nesta segunda-feira (1), que a Netshoes tem interesse em abrir lojas físicas.

Trajano disse que essa é uma possibilidade mas não deu muitos detalhes. “Marcio Kumruian, cofundador da Netshoes, insiste muito nessa ideia porque acha que é importante para as marcas. É uma possibilidade, mas não uma certeza”, afirmou o CEO em entrevista ao “Valor Econômico”.

O investimento no varejo físico é parte do plano do diretor do Magazine Luiza. Em maio, o CEO anunciou a compra da loja online de artigos esportivos, Netshoes, por cerca de R$ 440 milhões.

A Netshoes vai receber uma contribuição de R$ 200 milhões. Desta forma poderá quitar 100% da dívida bancária que possui.

Frederico Trajano tem o objetivo de atingir um ponto de equilíbrio financeiro da Netshoes no prazo de um ano e meio. Sendo assim, a empresa deve ficar estável em 2021.

Um de seus objetivos é diminuir as despesas com vendas e administração. De acordo com o CEO, estas duas coisas juntas são 30% da receita da Netshoes, sendo que no Magazine é só 21%. “Queremos diminuir para o nível da Magalu (21%)”, declarou.

A associação da Netshoes ao sistema de vendas do Magalu será feita apenas no ano de 2020. Sendo assim, Trajano falou sobre a preocupação com uma mudança próxima a Black Friday. “Não vamos tocar em nada disso agora, perto da Black Friday”, afirmou.

Mesmo assim, 100% do portfólio da Netshoes já está no site do Magazine Luiza. Em entrevista ao “Valor Econômico”, Trajano falou sobre a mudanças que planeja para a varejista online de artigos esportivo.”Eu vou cortar custo necessário, mas não vou aumentar preços. Vamos integrar o ‘back office’. Unificar as sedes é algo que ainda não está em discussão”, finalizou.

Magazine compra Netshoes

Em junho deste ano, a varejista Magazine Luiza confirmou a compra da loja eletrônica de artigos esportivos. O acordo foi fechado para obtenção de 100% das ações da gigante do comércio eletrônico. A Magazine teve um grande entrave durante a negociação, pois a Centauro também estava forte na disputa. Ao final, a compra foi feita por US$ 62 milhões.

 

Juliano Passaro

Compartilhe sua opinião